]

Manaus, 23/10/2021

Polícia

Amazonas registrou três homicídios nas últimas 24 horas

Amazonas registrou três homicídios nas últimas 24 horas
14/10/2021 16h50

Entre a manhã de quarta-feira (13/10) e as primeiras horas de hoje (14/10), Amazonas registrou três homicídios e um encontro de cadáver. A informação consta no relatório da Polícia Militar do Amazonas (PMAM).

As ocorrências foram registradas em Manaus e nos municípios de Coari, Maués e Iranduba. Na avenida Brigadeiro Hilário Gurjão, bairro Jorge Teixeira, zona leste da capital, um homem, 23, foi vítima de arma de fogo. Welligton Fabrício de Souza Batista foi morto por nove disparos na região do tórax e das costas. Segundo informações policiais, ele possuía passagem por furto registrada em 2013.

Interior 

No município de Coari (a 363 quilômetros de Manaus), um homicídio foi registrado durante a noite de quarta-feira (14/10), no Centro da cidade. De acordo com informações policiais, a vítima era do sexo masculino, com idade entre 40 e 45 anos, e foi morta com um golpe de arma branca na região do tórax.

Populares informaram que o principal suspeito pelo crime era um homem, 37, que logo em seguida foi preso e direcionado à delegacia do município.

Em Maués (a 276 quilômetros de Manaus), o corpo de José Edelto de Andrade, 45, foi encontrado em uma praia local. As equipes da Polícia Militar (PMAM) e da Polícia Civil (PC-AM) chegaram ao local após denúncia de Fausto Guimarães, patrão da vítima. José foi encontrado com várias perfurações pelo corpo, possivelmente de arma branca.

Um corpo do sexo feminino, sem identificação, com idade entre 25 e 30 anos, foi encontrado em uma estrada no município de Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus). A vítima apresentava sinais de violência, com as mãos amarradas e em estado avançado de decomposição.

 

 

 

 

*Com informações da assessoria.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.