Geral

Apresentador Rodrigo Bocardi diz que sofreu ameaça de Nego Di

Reprodução/Interenet
Reprodução/Interenet
18/02/2021 10h00

Apresentador do “Bom Dia São Paulo”, Rodrigo Bocardi revelou durante o programa “Ponto Final”, da rádio CBN, em conversa com Vera Magalhães e Carolina Morand, que já foi ameaçado por Nego Di, eliminado do “BBB” com 98,76% dos votos nesta terça-feira (16).

O jornalista classificou o humorista como um “valentão” e afirma ter sido alvo de ataques por causa dele: “Eu não quis falar nada ontem, até porque não tinha a expulsão de Nego Di, até porque isso que vou contar agora reflete muito o que é a vida e tem tudo a ver com o grande assunto dia, que envolve também um valentão, aquele soberano, que está acima de todos e de tudo, que acha que pode dominar o mundo e desrespeitar quem quer que seja”.

Bocardi afirma que sua família chegou a sofrer ameaças por causa do ex-BBB, no ano passado. 

“Nego Di, esse mesmo Nego Di, ele, que hoje no programa da Ana Maria Braga quase chorou, dizendo que o filho está sendo ameaçado, que não pode ir para a escola, que ele está sofrendo ameaças inclusive de morte. Esse mesmo Nego Di foi quem fez uma acusação seríssima contra mim no mês de abril e que todos os seguidores dele, já que ele fez uma ameaça, do Rio Grande do Sul, na sua maioria, endossaram a crítica que ele fez e começaram a perturbar a minha vida e a da minha família com a maior intensidade possível que vocês possam imaginar”.

O apresentador chegou a ler uma das mensagens ameaçadoras que recebeu contendo frases como “Os guri ‘vai’ (sic) te apagar, se liga”, “Estão por invadir sua casa, seu bosta” e “Os caras vão brincar de Lego com seu corpo”. 

“Essa foi só uma entre tantas ameaças, inclusive aos meus filhos. Tem tudo o que vocês puderem imaginar”, afirmou. “E hoje, Nego Di, o valentão, aquele fez a acusação, que mobilizou todo o seu time contra mim e minha família, estava hoje lá no programa da Ana Maria Braga quase chorando, com índice de rejeição recorde no ‘BBB'”.

Bocardi, no entanto, afirma que não considera o que ocorreu como uma espécie de vingança: “É triste ver a pessoa passar por aquilo que ela desejou para o outro, mas traz um pouco de reflexão e esperança. Quem sabe não serve de reflexão para tantas pessoas, inclusive para o valentão”.

Em fevereiro do ano passado, o jornalista chegou a ser acusado de racismo após perguntar a um jovem negro no metrô se ele estava indo ao clube para pegar bolinhas de tênis. Na época, Bocardi se defendeu nas redes sociais: 

“Muito triste a acusação de preconceito. Eu pratico tênis no Clube Pinheiros. Os jogadores de tênis não usam uniformes, mas os pegadores/rebatedores, sim: uma camiseta igual a do Leonel, com quem tive o prazer de conversar hoje. Ao vê-lo com a camiseta que vejo sempre, todos os dias, pegadores/rebatedores de todas as cores de pele, pensei que fosse um deles. Não frequento outras áreas do clube onde outros esportes são praticados. E não sabia que a camiseta era parecida. Se soubesse, teria perguntado em qual área ou esporte trabalhava ou treinava”.

A coluna tentou contato com Nego Di por meio das redes sociais, mas não obteve resposta até o momento. Tão logo isso ocorra, o humorista terá seu posicionamento incluído neste texto.

via UOL