Manaus, 01/07/2022

Mundo

ARQUIDIOCESE DE WASHINGTON DIVULGA LISTA COM 31 PADRES ACUSADOS DE ABUSOS

Basílica do Santuário Nacional da Imaculada Arquidiocese de Washington Foto:Reprodução Facebook
Basílica do Santuário Nacional da Imaculada Arquidiocese de Washington Foto:Reprodução Facebook
16/10/2018 10h00

A arquidiocese de Washington, nos Estados Unidos, divulgou nessa segunda-feira, 15, uma lista com 31 padres católicos que teriam abusado sexualmente de menores de idade.

De acordo com um comunicado da instituição, os religiosos foram “acusados crivelmente de abusos sexuais”, e os casos mais antigos remontam a 1948.

Dos 31 padres que aparecem na lista, 28 eram da arquidiocese, e três trabalharam temporariamente em paróquias ou escolas administradas por ela. Além disso, 17 deles já morreram.

A relação foi revelada três dias depois de o papa Francisco aceitar a renúncia do cardeal Donald Wuerl, arcebispo emérito de Washington em meio a acusações de ter acobertado casos de abuso sexual quando era arcebispo de Pittsburgh.

No comunicado, o próprio Wuerl descreveu a lista como “uma dolorosa recordação dos graves pecados cometidos pelo clero, a dor infligida a jovens inocentes e a dor causada à fé na Igreja”.

Segundo a arquidiocese, a lista foi elaborada em 2017, a mando de Wuerl, como parte de uma revisão dos arquivos da entidade.

No comunicado, o cardeal disse que, com base nos seus conhecimentos, “não houve nenhuma alegação crível de abuso de um menor por parte de um sacerdote da arquidiocese em quase duas décadas”, embora a relação divulgada hoje inclua uma acusação contra um sacerdote que aconteceu em 2007, há 11 anos.

Wuerl reiterou que não há “nenhum padre arquidiocesano em ministério ativo que tenha sido alvo alguma vez de uma alegação crível de abuso de um menor”.

Na lista estão sacerdotes que foram afastados de forma definitiva, outros temporariamente ou simplesmente realocados, e alguns que foram condenados pela justiça.

A arquidiocese defendeu-se no comunicado como um lugar seguro e ressaltou seus mecanismos para combater e prevenir casos de abuso sexual.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.