BOSCO SARAIVA ALERTA PARA OUTRO ITEM EM DEFESA DA ZFM

Em entrevista nesta sexta-feira (26) na Rádio Record News (95,7), o deputado federal e presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços (Cdeics), Bosco Saraiva (Solidariedade/AM), destacou a união da bancada do Amazonas em defesa dos interesses da Zona Franca de Manaus, em especial contra os recentes ataques que o Modelo sofreu e que estava “por um fio” para perder seus incentivos fiscais. O presidente da Cdeics, evidenciou ainda que, neste momento as questões ambientais em benefício da ZFM devem receber maior atenção.

“Há uma coisa diferenciada de todas as bancadas do Brasil: o assunto quando é Zona Franca de Manaus, une a todos. De uma forma absolutamente automática. Mas não podemos propagar isso de uma forma diminuída, isolada. A união de esforços fez e fará sempre toda a diferença. Recentemente, um grupo do Amazonas patrocinou um estudo importante da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Um relatório que dá conta exatamente dos avanços e da positividade da Zona Franca de Manaus e que a projeta para o futuro”, informou Saraiva.

Dentre os itens do estudo, o deputado alertou para outra problemática.

“A questão ambiental precisa ter uma profundidade muito maior agora. Porque este é o grande apelo em prol, em função e em favor da Zona Franca de Manaus. Deste relatório, o governo estadual poderia incentivar a FGV, de que este item fosse ampliado para avançar neste campo que é, em uma linguagem muito simples, aquilo que mais nos favorece nesse momento”, indicou.

Bosco Saraiva chamou a atenção também para a defesa de um movimento estadista que, na sua opinião, está acima de interesse partidários.

“Esse tipo de atitude é que eu reclamo. Uma coisa no andar de cima, acima da política partidária. Acima das questões eleitorais. Uma coisa de amazonenses que estão preocupados com o futuro. Eu sonho que haja no meu Estado movimentos de estadistas. Não de pessoas que ocupam temporariamente determinados postos no Executivo ou no Legislativo. Mas de pessoas comprometidas com uma política de estado que possa, efetivamente, nos dá base para que a gente discuta com autoridade lá fora. Esse estudo da FGV precisa ser distribuído de forma material para todos os estudantes secundaristas do Amazonas. É assim que se promove o futuro. Isso não custa nada para o Estado do Amazonas, encadernar, distribuir e preparar os professores para que, na sala de aula, diga aos estudantes o que a ZFM representa”, estimulou.