]

Manaus, 04/08/2021

Amazonas

Casos de chikungunya aumentam em Tefé e Vigilância em Saúde do Amazonas intensifica ações de controle vetorial

Casos de chikungunya aumentam em Tefé e Vigilância em Saúde do Amazonas intensifica ações de controle vetorial
08/07/2021 20h30

 

Aumentou para 16 o número de casos confirmados de febre chikungunya em Tefé (a 523 quilômetros de Manaus). Uma equipe da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) está no município dando suporte às ações de controle vetorial do mosquito Aedes aegypti, que transmite chikungunya, além de dengue e zika.

 

Entre os casos positivos, estão quatro pessoas do sexo masculino e 12 do sexo feminino, sendo seis crianças e 10 adultos. Dois deles são irmãos. As amostras para identificação da doença foram processadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen/FVS-RCP), que emitiu o diagnóstico para a enfermidade.

 

Os técnicos da FVS-RCP estão em Tefé, desde segunda-feira (05/07), para investigar o surto de chikungunya e dar suporte no controle do vetor da doença à Secretaria Municipal de Saúde de Tefé (Semsa/Tefé). “O enfrentamento ao Aedes aegypti é uma tarefa contínua e coletiva. A principal ação que a população precisa adotar é evitar água parada acumulada, para evitar que o mosquito se multiplique”, alertou o diretor-presidente da FVS-RCP, Cristiano Fernandes.

 

No município, as equipes de Agentes Comunitários de Saúde (ACS) estão realizando borrifação de inseticida, nos bairros onde estão sendo apresentados os registros de casos da doença, com base no Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa); conversando com moradores e visitando moradias, com o objetivo de identificar criadouros do mosquito e, também, orientar os residentes sobre os métodos de prevenção à chikungunya, dengue e zika.

 

O chefe do Departamento de Vigilância Ambiental da FVS-RCP (DVA-FVS-RCP), Elder Figueira, acrescenta que os técnicos da FVS-RCP também estão capacitando novos profissionais, que vão atuar na função de ACS e de Agente Comunitário de Endemias (ACE).  “Esses 16 casos foram identificados em curto espaço de tempo. Então, as equipes da Vigilância Ambiental e Epidemiológica estão realizando todo o suporte necessário para conter a situação e identificar quais são os fatores que estão associados ao surto”, detalha Elder.

 

Prevenção – O controle de chikungunya, dengue ou zika é realizado da mesma forma, já que essas doenças possuem o mesmo vetor que é o mosquito Aedes aegypti. Em uma verificação que dura 10 minutos, o morador pode analisar se há recipientes e estruturas na moradia que possam funcionar como criadouros para o mosquito. A recomendação é evitar água parada em qualquer local em que ela possa se acumular.

 

Referência – A FVS-RCP é responsável pela Vigilância em Saúde do Amazonas. A instituição funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na avenida Torquato Tapajós, 4.010, Colônia Santo Antônio, Manaus. Contato telefônico da FVS-RCP (92) 3182-8550 e 3182-8551. Contato telefônico do PNI/FVS-RCP são (92) 2129-2500 e 2129-2502.