Manaus, 06/10/2022

Mundo

China enviará tropas à Rússia para exercício ‘Vostok’

China enviará tropas à Rússia para exercício ‘Vostok’
17/08/2022 17h00

Tropas chinesas viajarão à Rússia para participar de exercícios militares conjuntos liderados pelo país anfitrião e incluindo Índia, Bielorrússia, Mongólia, Tadjiquistão e outros países, disse o Ministério da Defesa da China nesta quarta-feira.

A participação da China nos exercícios conjuntos “não tem relação com a atual situação internacional e regional”, disse o ministério em comunicado.

No mês passado, Moscou anunciou planos de realizar exercícios “Vostok” (leste) de 30 de agosto a 5 de setembro, mesmo enquanto trava uma guerra custosa na Ucrânia. Disse na época que algumas forças estrangeiras participariam, sem nomeá-las.

O Ministério da Defesa da China disse que sua participação nos exercícios faz parte de um acordo de cooperação anual bilateral em andamento com a Rússia.

“O objetivo é aprofundar a cooperação prática e amigável com os exércitos dos países participantes, aumentar o nível de colaboração estratégica entre as partes participantes e fortalecer a capacidade de responder a várias ameaças à segurança”, disse o comunicado.

Sob o presidente chinês Xi Jinping e seu colega russo Vladimir Putin, Pequim e Moscou se aproximaram cada vez mais.

Há um ano, neste mês, Rússia e China realizaram exercícios militares conjuntos no centro-norte da China envolvendo mais de 10.000 soldados. O ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, elogiou os exercícios Sibu/Cooperation-2021 em Ningxia, na China, e sugeriu que eles poderiam ser desenvolvidos ainda mais.

Sob o presidente chinês Xi Jinping e seu colega russo Vladimir Putin, Pequim e Moscou se aproximaram cada vez mais.

Há um ano, neste mês, Rússia e China realizaram exercícios militares conjuntos no centro-norte da China envolvendo mais de 10.000 soldados. O ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, elogiou os exercícios Sibu/Cooperation-2021 em Ningxia, na China, e sugeriu que eles poderiam ser desenvolvidos ainda mais.

Em outubro, Rússia e China realizaram exercícios navais conjuntos no Mar do Japão. Dias depois, navios de guerra russos e chineses realizaram suas primeiras patrulhas conjuntas no Pacífico ocidental. 

No mês seguinte, os militares da Coreia do Sul disseram que haviam despachado caças depois que dois aviões de guerra chineses e sete russos invadiram sua zona de identificação de defesa aérea durante o que Pequim chamou de treinamento regular.

Pouco antes da invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro, Pequim e Moscou anunciaram uma parceria “sem limites”, embora autoridades norte-americanas digam que não viram a China driblar as sanções lideradas pelos EUA à Rússia ou fornecer equipamentos militares.

O distrito militar oriental da Rússia inclui parte da Sibéria e tem sua sede em Khabarovsk, perto da fronteira chinesa.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.