]

Manaus, 30/07/2021

Brasil

Cinco estados reduzem intervalo entre doses da AstraZeneca

Cinco estados reduzem intervalo entre doses da AstraZeneca
09/07/2021 13h10

Os estados do Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Pernambuco e Santa Catarina decidiram antecipar a aplicação da 2ª dose da vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca. Os principais motivos são aumentar a parcela da população totalmente imunizada e evitar ultrapassar o prazo de 12 semanas entre as doses.

Em Santa Catarina, o intervalo entre as doses de AstraZeneca foi encurtado para dez semanas. Em Mato Grosso do Sul, o prazo entre a 1ª e a 2ª dose foi encurtado para oito semanas (56 dias). A medida se aplica tanto para as vacinas da AstraZeneca quanto da Pfizer.

O Maranhão, por sua vez, autorizou aplicação da segunda dose da AstraZeneca oito semanas após a primeira. A antecipação é válida para cidades que receberam lotes com a validade curta. Já o Espírito Santo recomenda que a anotação na carteirinha de vacinação seja do prazo de 12 semanas, mas permite que a segunda dose seja antecipada e aplicada dez semanas após a primeira.

Em Pernambuco, o Estado autorizou que os municípios apliquem a 2ª dose da vacina entre 60 e 90 dias após a primeira. Em boletim epidemiológico divulgado nesta semana, o governo disse que a discussão foi levantada após o Ministério da Saúde antecipar em quase um mês o envio de doses destinadas a completar o esquema.

Em nota, o Ministério da Saúde disse que acompanha todos os estudos sobre as vacinas e qualquer modificação deve ser discutida na Câmara Técnica Assessora em Imunização e Doenças Transmissíveis. O intervalo entre doses para a vacina AstraZeneca permanece, diz o texto, o mesmo disposto em bula e orientado pelo fabricante, “de 12 semanas”.