]

Manaus, 28/07/2021

Cidade

Conscientização da Cardiopatia Congênita

Foto: divulgação
Foto: divulgação
18/06/2021 16h31

Campanha no Manauara Shopping irá alertar a população amazonense sobre a patologia que afeta 29 mil crianças brasileiras anualmente.

No país, o Dia Nacional de Conscientização da Cardiopatia Congênita é celebrado em 12 de junho. Como a má formação cardíaca ainda é uma patologia desconhecida do grande público, o Manauara Shopping abriu as portas do Mall para uma campanha que mostra crianças tratadas precocemente e que estão saudáveis na atualidade.
Durante o mês de junho, 12 fotos de crianças que superaram as cardiopatias ficarão expostas na porta dos elevadores para alertar os pais e responsáveis sobre a importância de realizar o teste do coraçãozinho logo após o nascimento e dar início ao tratamento rapidamente. No Brasil, 29 mil recém-nascidos apresentam cardiopatias congênitas.

A cardiologista pediátrica Suely Telles explica que a deficiência no funcionamento do coração pode ser identificada no início da gestação. “Com 20 semanas de gravidez, o ecocardiograma fetal, disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), aponta indícios de alterações, que deixam os médicos de sobreaviso. No Amazonas, o hospital
Francisca Mendes, referência em doenças cardíacas no estado, recebe os pequenos pacientes e proporciona tratamentos eficientes”, explica a especialista.

A campanha também tem como objetivo desmistificar o conceito disseminado no imaginário popular de que as patologias do coração afetam exclusivamente os de mais idade. “Muitos acham que só o coração de adultos tem problemas, mas bebês com meses de vida na barriga das mães já apresentam os sintomas”, complementou a
médica.

Modelos da campanha

Estrelam a campanha crianças que apresentaram cardiopatias congênitas ao nascer e  que receberam o prognóstico assertivo, passando por tratamentos contínuos bem- sucedidos com o apoio dos pais. Uma das modelos é a pequena Luíza, de 2 anos, que foi diagnosticada com alteração no coração quando a mãe, a vendedora Lucilene Pereira Tavernard, estava no sexto mês de gestação.

“Para a medicina seria impossível nossa filha sobreviver ao parto, devido à gravidade de sua cardiopatia. Mas ela resistiu bravamente à cesarea no dia 4 de abril de 2019. Ainda na maternidade, teve duas infecções, que venceu e pode ser encaminhada para o hospital universitário Francisca Mendes, onde fez a primeira cirurgia”, relembrou
Lucilene.

A mãe relata ainda que a menina teve de se submeter a uma segunda e complexa cirurgia em março deste ano e que o apoio da equipe médica e a força em Deus garantiram mais uma vitória para a filha. “Hoje, Luíza já superou mais um desafio e está em casa ao meu lado, do meu marido Fabrício e da irmã Rebeca de 8 anos. Ela está com saúde, trazendo felicidade a todos. É muito bom compartilhar o exemplo desta nossa pequena guerreira com outras famílias para que outros pais e mães saibam que é possível vencer a cardiopatia congênita e ficar bem”, ressaltou a mãe
emocionada.