]

Manaus, 19/09/2021

Cidade

Delegado Gustavo Sotero será monitorado por tornozeleira eletrônica diz TJAM

Foto: Reprodução Internet
Foto: Reprodução Internet
02/09/2021 11h38

MANAUS  – Na última terça – feira (31), o Juízo da 1.ª Vara de Execução Penal concedeu a progressão do apenado para o regime semiaberto, atividade automática e que considera os cálculos previstos na Lei de Execução Penal, de acordo com o sistema de cálculos de pena do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o SEEU – Sistema Eletrônico de Execução Unificado.

No caso do apenado Gustavo de Castro Sotero, este deverá ficar em prisão domiciliar, até que sejam decididas as condições em que cumprirá o regime semiaberto. A 1.ª VEP ressalta que a progressão de regime para o semiaberto não representa “soltura” do preso. O semiaberto é um regime da pena privativa de liberdade, acompanhada pela 2.ª Vara de Execução Penal.

Os apenados do semiaberto do Estado do Amazonas ficam sob monitoramento eletrônico.

O delegado foi condenado pela morte do advogado Wilson Justo Filho, após um desentendimento com a vítima. O crime ocorreu no dia 25 de dezembro de 2017, em uma casa noturna na zona oeste de Manaus.

Sotero, foi condenado a perder o cargo de delegado de polícia, mais isso não aconteceu e o delegado continua recebendo os seus mais de R$ 21 Mil na folha de pagamento da instituição pública é como consta no portal da transparência.

Em nota a defesa do réu afirma que o Delegado de Polícia Civil, Gustavo Sotero, entende que a decisão do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas em deferir o pedido da defesa para progressão de pena foi assertiva. A decisão reconhece o bom comportamento e a boa conduta de Gustavo Sotero.

A defesa reforça que Gustavo Sotero sempre de foi um homem correto, cumpridor da lei e com a reputação de um delegado que serviu e protegeu a sociedade amazonense de forma exemplar. É o que diz a nota.

 

Fonte: TJAM

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.