Manaus, 06/07/2022

Política

Deputado Estadual Sinésio Campos é contra decisão de juiz que liberou a instalação dos medidores aéreos de energia

Deputado Estadual Sinésio Campos é contra decisão de juiz que liberou a instalação dos medidores aéreos de energia
20/05/2022 09h40

Na manhã desta quinta-feira (19/05), em discurso na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), o deputado estadual Sinésio Campos (PT), presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Amazonas Energia, se posicionou contrário à decisão da justiça que liberou a instalação dos medidores aéreos, na capital amazonense.

Para Sinésio Campos o ato foi precipitado. “Vejo que essa decisão do juiz foi precipitada e precisa ser analisada pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). Vou continuar vigilante, porque entendo que essa empresa comete vários delitos contra mais de 2 milhões de clientes”.

“Não vamos nos intimidar, até porque os ilícitos cometidos por essa empresa são muitos, como por exemplo, os 57 medidores que cobravam o dobro do consumo de energia, revelado pela CPI, falta de manutenção de rede, ocasionando quedas de energia, cidades do interior com mais de 15 dias sem luz, comerciantes perdendo suas mercadorias e tantos outros problemas substanciados na Comissão”, desabafou Sinésio Campos.

A decisão foi tomada pelo juiz Manuel Amaro de Lima, titular da 3ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), com base na perícia realizada pelo Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem/AM) em 57 aparelhos, instalados em residências nas zonas Norte e Centro-Sul da cidade.

Manuel Amaro alegou que não foram identificadas irregularidades no funcionamento dos novos equipamentos de energia e, portanto, manter a proibição configuraria ato abusivo.

As instalações dos medidores aéreos estavam suspensas pela justiça, desde o dia 21 de janeiro deste ano, período em que a população de Manaus realizou vários protestos contra o novo sistema de medição de energia.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.