Manaus, 15/08/2022

Amazonas

Em Iranduba, FVS-RCP faz monitoramento das ações de controle da tuberculose no município até sexta-feira (01/07)

Em Iranduba, FVS-RCP faz monitoramento das ações de controle da tuberculose no município até sexta-feira (01/07)
30/06/2022 15h00

Para monitoramento e avaliação das ações de controle da tuberculose, a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), vinculada à Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM), realiza, até esta sexta-feira (1º/07), uma visita técnica ao município de Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus).

A visita técnica faz parte do Programa Estadual de Controle à Tuberculose (PECT) e conta com a apresentação de indicadores epidemiológicos e operacionais da tuberculose, visita às Unidades Básicas de Saúde (UBS), à rede laboratorial e hospitalar, realização de treinamento teórico e prático da prova tuberculínica (teste de identificação de infecção prévia), além de capacitação sobre tuberculose e Infecção Latente da Tuberculose (ILTB).

“É importante que todos os profissionais de saúde atendam ao protocolo de diagnóstico, tratamento e prevenção da tuberculose. Todos os esforços devem ser reunidos para que seja intensificado o controle e promover a saúde da população de Iranduba, neste caso”, afirmou a diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim.

A coordenadora do Programa Estadual de Controle da Tuberculose (PECT), Lara Bezerra, destaca que o acompanhamento inclui a implantação do Protocolo de Vigilância da ILTB e regime 3HP, regime de Tratamento Preventivo da Tuberculose (TPT) de curta duração e recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Iranduba é um município com carga alta de Tuberculose e prioritário para a implantação do protocolo de ILTB e do regime 3HP, que combina doses dos medicamentos isoniazida (H) e de rifapentina (P). Esses medicamentos são tomados uma vez por semana durante três meses. Essas ações implantadas e em pleno funcionamento visam o controle da doença”, afirma a coordenadora do PECT.

A visita técnica é destinada a gestão da vigilância epidemiológica de Iranduba, de atenção básica à saúde, coordenação municipal do Programa de Controle da Tuberculose e demais profissionais de saúde.

Cenário e tratamento da ILTB

De janeiro a maio de 2022, foram registrados 1.302 casos novos de tuberculose no Amazonas. Os cinco municípios com maior quantidade de casos novos são: Manaus (937), Manacapuru (43), Tabatinga (26), Tefé (26) e Itacoatiara (22).

De 2016 até maio de 2022, 2,8 mil pessoas foram beneficiadas com o tratamento da ILTB no estado, sendo 90,6% dos tratamentos em Manaus.
Os grupos prioritários e beneficiados com o tratamento da ILTB estão os contatos de casos de TB (61,1%), as pessoas vivendo com HIV (22,4%) e outras condições de imunossupressão (12,4%).

Prevenção

Para prevenir a tuberculose, está disponível a vacina BCG (bacilo Calmette-Guérin), ofertada no Serviço Único de Saúde (SUS), que protege as crianças das formas mais graves da doença. A vacina está disponível nas salas de vacinação das unidades básicas de saúde e maternidades. É ministrada às crianças ao nascer, ou, no máximo, até os 4 anos, 11 meses e 29 dias.
Também está disponível o tratamento da ILTB, disponível no SUS, podendo ser realizado em três ou quatro meses ou até nove meses dependendo do medicamento utilizado.

Referência

A FVS-RCP é responsável pela Vigilância em Saúde do Amazonas, o que inclui a prevenção à tuberculose por meio do Programa de Controle da Tuberculose (PECT), no Departamento de Vigilância Epidemiológica (DVE). A instituição funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na avenida Torquato Tapajós, 4.010, Colônia Santo Antônio, Manaus. Os números para contato são (92) 3182-8550 e 3182-8551.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.