Geral

Encontros & Cantos da Amazônia’ reúne artistas do Norte em live

Encontros & Cantos da Amazônia’ reúne artistas do Norte em live

Os artistas Zeca Torres (Torrinho), Márcia Siqueira, Patrícia Bastos e Vital Lima são os grandes protagonistas da live ‘Encontros & Cantos da Amazônia’, que acontece no dia 20 de dezembro às 18h e reunirá em show artistas do Amazonas, Pará e Macapá. O evento conta com o apoio da Prefeitura de Manaus, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal, Marjom, TV Encontro das Águas e Hotel do Largo.

A apresentação será transmitida ao vivo pela internet através do Youtube e tem o objetivo de permitir o acesso gratuito aos espectadores de todas as partes do país. Além disso, o evento contará com a gravação do áudio ao vivo, para futuramente serem disponibilizados em plataformas de músicas como Spotify, Deezer e etc.

A proposta do projeto consiste na realização de uma apresentação musical na qual dois artistas manauaras, o compositor/cantor Zeca Torres, o ‘Torrinho’, e a cantora Márcia Siqueira, recepcionam dois artistas convidados de duas outras capitais dos estados da região Norte: o compositor/cantor Vital Lima, representando Belém (PA) e a cantora Patrícia Bastos, representando Macapá (AP).

O projeto Encontros & Cantos da Amazônia foi idealizado pela produtora Ana Priscilla Santos e teve sua primeira realização em 2016 com os cantores Torrinho, Karine Aguiar, David Assayag e Felicidade Susy. Desta vez, a apresentação expandirá suas fronteiras.

“Estar de volta ao palco após tanto tempo de isolamento, e ainda na companhia dessas grandes expressões da música amazônica, é um privilégio. Márcia, que todos conhecemos bem, é dona de um canto poderoso e afinadíssimo que nos habituamos a ouvir por todos os cantos do Amazonas; Patrícia, uma cantora de rara sensibilidade, premiadíssima, que desfila um repertório de muito bom gosto, sempre elevando os valores e a cultura amazônica, sobretudo de seu estado, o Amapá; Vital, compositor refinado e intérprete de voz marcante, é uma referência não apenas do Pará, mas de toda a região norte. Tenho certeza que será um encontro inesquecível!”, diz Torrinho.

Quem quiser acompanhar o show pode anotar na agenda o dia 20 de dezembro e acessar www.youtube.com/c/portodelenhaproducoes ou o Facebook Porto de Lenha (@portodelenhaam).

Artistas

ZECA TORRES (TORRINHO) – Amazonas

José Evangelista Torres Filho – Zeca Torres – é filho de músico, regente e compositor da banda de música, de onde veio seu DNA para a música. Nasceu em Belo Horizonte, viveu sua infância no Rio de Janeiro.
Mudou-se para Manaus no ano de 1968. Começou a compor no início dos anos 70, quando participou de vários festivais. Neste período, fez música para teatro, junto ao Teatro Experimental do SESC (TESC), e integrou o grupo “A Gente” junto a Aldísio Filgueiras e outros artistas amazonenses. Participou de montagens como “Morte e Vida Severina”, de João Cabral de Melo Neto, “Romanceiro da Inconfidência”, de Cecília Meirelles, e peças contemporâneas como “Tem Piranha no Pirarucu” (ou “Zona Franca Meu amor”), de Márcio Souza. Tem dois discos solo: “Porto de Lenha” (1992) e “Bailando na Escuridão” (2015).

MÁRCIA SIQUEIRA (Amazonas)

A cantora amazonense Márcia Siqueira, carinhosamente chamada pelo Boi Bumbá Garantido, do Festival Folclórico de Parintins, de “Rosa Vermelha”, representa a música do Amazonas em todas as suas vertentes. Com talento raro, transita tanto na Música Popular Brasileira, como no Jazz ou na interpretação do cancioneiro regional, destacando-se por ser uma das raras vozes femininas aceitas no fechado reduto das toadas amazônicas.

 


VITAL LIMA (Pará)

Vital Lima nasceu em Belém do Pará onde, em 1974, foi uma das revelações do 1º Festival de Música e Poesia Universitária ao lado da então iniciante Fafá de Belém, que interpretou uma de suas músicas. No júri do Festival estava o poeta Hermínio Bello de Carvalho que, dentre as canções do compositor seleciona uma, Rock’n Roll, para o repertório do show “Te Pego Pela Palavra” estrelado pela cantora Marlene, no Rio de Janeiro, e que acabaria por se tornar seu primeiro trabalho registrado em disco. O LP “WALDEMAR”, lançado comercialmente em CD, foi considerado um dos 10 melhores lançamentos do ano pela crítica do jornal “O Globo” do Rio de Janeiro. Já Vital percorreu várias capitais brasileiras como participante do Projeto Pixinguinha, ao lado de artistas como Carmélia Alves, Antonio Adolfo, Fafá de Belém e Belchior. Mais tarde dividiu o palco do projeto ‘Seis e Meia’ com Emílio Santiago. O artista também compõe para peças de teatro, destacando-se as trilhas das peças “O cândido Chico Xavier’ e ‘Bonequinha de Pano’, de Ziraldo, estrelada por Zezé Fassina, sobre letras de Jamil Damous e do próprio Ziraldo. O trabalho recebeu o prêmio ‘Maria Clara Machado’ de Melhor canção/trilha de Teatro Infantil de 2003, concedido pela Prefeitura do Rio de Janeiro.

PATRÍCIA BASTOS (Macapá)

Começou a se dedicar à música aos 18 anos, quando entrou para a Banda Brinds, na qual permaneceu por cinco anos. Participou também de alguns festivais, conquistado prêmios no Festival da Canção Amapaense, em 1997, no Festival Internacional de Goiás (Festsinhá), e no Festival de Tatuí, cidade do interior de São Paulo e desde então, seguiu carreira solo, Patrícia destaca-se pelo timbre suave e afinação contundente. Já se apresentou como participação especial de Nico Rezende, Lô Borges, Biafra, Nilson Chaves e do grupo Boca Livre.

Com o álbum Zulusa, lançado em 2013, Patrícia foi premiada em maio de 2014, no 25º Prêmio da Música Brasileira, como melhores disco regional e cantora regional.

O sexto álbum intitulado Batom Bacaba, lançado através do edital Natura Musical de 2015 e produzido por Du Moreira e Dante Ozzetti, traz as características musicais da cultura amapaense como o marabaixo, batuque e cacicó, o álbum traz oito canções com colaboração de artistas consagrados da região norte. A obra foi lançada em São Paulo, Campinas e em Macapá. Com a obra, Patrícia foi novamente indicada para a 28ª Edição do Prêmio da Música Brasileira de 2017 nas categorias de Melhor Álbum e Melhor Cantora.

Seu álbum Batom Bacaba foi indicado ao Grammy Latino de 2017 de Melhor Álbum de Raízes Brasileiras.