Manaus, 06/07/2022

Cidade

ESCOLA MUNICIPAL LUCILA FREITAS CONQUISTA O PRIMEIRO LUGAR EM FEIRA AMAZONENSE DE MATEMÁTICA

Primeiro lugar em Feira Amazonense de Matemática é conquistado por escola municipal Foto:Foto: Lton Santos/ Semed
Primeiro lugar em Feira Amazonense de Matemática é conquistado por escola municipal Foto:Foto: Lton Santos/ Semed
18/10/2018 09h00

O primeiro lugar na 1ª Feira Amazonense de Matemática foi conquistado pela Escola Municipal Lucila Freitas, localizada na zona Norte de Manaus. A premiação foi na categoria Matemática Aplicada, modalidade Anos Iniciais do Ensino Fundamental, com o projeto “Aprendendo Através da Construção de um Motor Stirling Solar”. O evento foi realizado na segunda-feira, 15/10, na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e encerrou nesta quarta-feira, 17/10.

A feira foi organizada pela Ufam, em parceria com diversas instituições, e aconteceu no Centro de Convivência da universidade, setor Norte do Campus Universitário.

O projeto premiado é desenvolvido na escola há aproximadamente cinco anos e, durante esse tempo, já foi destaque em diversas feiras, sendo indicado, inclusive, para participar do Movimento Científico Norte Nordeste (Mocinn), em 2016.

O motor stirling desenvolvido pelos alunos é um motor de combustão externa, utiliza como fluido de trabalho somente o ar aquecido pela combustão e produz energia limpa. No caso do projeto, o aquecimento é feito a partir do sol.

O professor responsável pelo projeto é Cláudio Vieira de Almeida, que dá aula de Ciências na unidade de ensino. Ele conta que o trabalho começou apenas como projeto da disciplina, mas com o tempo foi se tornando interdisciplinar.

“Matemática sempre foi trabalhada de forma muito simples, uma ferramenta para chegarmos nos resultados que queríamos, usando as medidas de comprimento, igualdade. Desde o ano passado, graças ao tema da Feira de Ciências da Semed “A Matemática está em tudo”, notamos o que de matemática tinha realmente no motor”.

A partir disso, eles começaram a trabalhar questões mais voltadas à matemática e devido à utilização de programas, como o Corel Draw, para elaboração das peças que compõem o motor, eles tiveram a oportunidade de conhecer estruturas que antes só viam na teoria.

Quem trabalhou no motor foram os alunos dos 8º e 9º anos, como Maycon da Silva, que participa há dois anos no projeto. Para ele, o conhecimento obtido participando desse trabalho vai além dos matemáticos. “Esse conhecimento que estamos adquirindo vamos usar para o resto das nossas vidas. Não é só questão de teoria, aprendemos lições para a vida como não desistir de uma ideia. Isso teve um impacto muito grande para gente”.

Outra integrante da equipe é Ana Caroline Lopes, que contou sobre a experiência. “Foi muito importante participar dessa feira, porque nunca tivemos essa oportunidade e, além disso, pudemos aprender e ensinar outras pessoas. Fizemos novas amizades, conhecemos novos projetos e mostramos para os outros do que nós somos capazes. Somos adolescentes, mostramos que podemos construir grandes coisas desde cedo”.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.