]

Manaus, 04/08/2021

Política

Ex Secretário de Educação esclarece sobre gastos irregulares com aluguéis de prédios

Ex Secretário de Educação esclarece sobre gastos irregulares com aluguéis de prédios
14/07/2021 10h55

Sobre a matéria publicada nesta quarta (13/7),  link https://portaldogeneroso.com/mp-processa-ex-secretarios-de-educacao-e-cobra-a-devolucao-de-r15-milhao-aos-cofres-publicos-do-am/?fbclid=IwAR2FXEIclx5bGnU0JV89J0OD4KNJGfvUBVVEQLb2qv-7Uezym1p4xbQWlmc em que os ex-secretários de Estado da Educação, Lourenço dos Santos Pereira Braga, Luiz Castro Andrade Neto e Gedeão Timóteo Amorim terão que devolver aos cofres públicos um montante de R$ 1,5 milhão por gastos irregulares com aluguéis de prédios em suas gestões. Sentença esta ajuizada na última segunda – feira (12), pela promotora de justiça Sheyla Dantas.

O ex Secretário de Educação, Luiz Castro em contato com o Portal do Generoso deu os seguintes esclarecimentos:

“Gostaria de frisar que não se trata de condenação. É uma ação proposta pelo MPAM , que ainda será analisada pelo Juízo de 1a instância. Esclareço que quando assumi a função de Secretário da Educação o referido imóvel já se encontrava alugado há mais de 6 meses. E só fui cientificado dessa situação após algum tempo de minha posse, tendo a área técnica da Secretaria informado ser favorável à manutenção do aluguel face à necessidade do mesmo, evitando inclusive multa contratual por rescisão.

Alguns percalços imprevistos tiveram de ser superados, mas adotamos as providências para que o prédio fosse utilizado, previsto inicialmente para um Centro de Educação de Jovens e Adultos , face à desistência da Polícia Militar de uso para um Colégio Militar . No entanto, diante de um posicionamento da área pedagógica de não mais necessitar do prédio para o Centro do Eja, entendemos que seria melhor não dar seguimento ao aluguel . Mas então fomos informados da situação de grave precariedade das instalações da Escola Rosina Ferreira, próxima do referido imóvel e assim optamos por transferir seus alunos para o prédio alugado , o que ocorreu pouco tempo após minha saída da Secretaria, mas a partir de procedimentos adotados sob nossa orientação.

A demora na transferência dos alunos se deu por conta de que o prédio alugado foi invadido por pessoas que o deterioraram e depredaram suas instalações, o que demandou a necessidade de fazer os reparos. Também foi necessário promover uma mudança ordenada dos alunos do Rosina, o que só pode ser feito em setembro de 2019. Tenho consciência de que agi de boa fé, seguindo as recomendações da área técnica. Apresentarei no devido momento processual minha defesa .”, disse.