Política

Fechamento de unidades do Banco do Brasil pode prejudicar os amazonenses, denuncia deputado Capitão Alberto Neto

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
23/02/2021 12h31

No último dia 11 de fevereiro, a direção do Banco do Brasil anunciou o fechamento de 361 unidades em todo Brasil e um programa de demissão voluntária. Destas, três serão no interior do Amazonas, nos municípios de Rio Preto da Eva, Iranduba e Autazes.

A direção do BB alega economia de gastos e a importância dos aplicativos para substituição dos serviços realidades em agências. Para o deputado federal Capitão Alberto Neto (Republicanos), a medida irá prejudicar os amazonenses, sobretudo pelas limitações com o acesso a internet.

A denúncia é tema de um requerimento de indicação enviado por Capitão Alberto Neto ao ministro da Economia, Paulo Guedes, solicitando uma alteração no planejamento divulgado pelo banco.

“O Amazonas sofre peculiaridades em relação a outros estados brasileiros no que diz respeito ao acesso a internet e tecnologia. A população ainda depende de agências bancárias para procedimentos simples como pagamento de uma conta de luz”, explicou o deputado.

O baixo poder aquisitivo da população no interior do Estado também é um agravante para o parlamentar, que impossibilita o uso de tecnologias no dia a dia. Além disso, as longas distâncias e as dificuldades de locomoção são agravantes no contexto da pandemia.

“Imagine uma pessoa no município de Autazes ter dificuldades para o saque de um benefício pago pelo BB e precisar atravessar o rio de balsa para resolver em Manaus. É uma situação que precisa ser repensada”, comentou.