Manaus, 29/01/2023

Amazonas

HAVERÁ VOTAÇÃO EXTRA EM MUNICÍPIOS DO AMAZONAS

Urna Eletrônica Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS
Urna Eletrônica Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS
06/10/2018 09h45

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), as urnas nesses locais foram preparadas para receber a votação extra. Para o primeiro turno, foram organizados cinco tipos distintos de eleições, o que exigiu a modulação do sistema da urna eletrônica pela Secretaria da Tecnologia da Informação (STI). O Programa de Múltiplas Eleições, desenvolvido pela STI, permite a programação da urna eletrônica com composições que variam conforme as exigências de cada votação.

No dia 28 de outubro, data do segundo turno, independentemente do resultado das eleições para presidente e para governador, os eleitores de 21 cidades vão às urnas escolher os prefeitos e vices. As eleições suplementares vão ocorrer nos municípios de Anamã e Novo Airão, no Amazonas; Aracoiaba e Croatá, no Ceará; Turvelândia, Planaltina, Davinópolis, Divinópolis de Goiás e Serranópolis, em Goiás; Bacabal, no Maranhão; Planalto da Serra, no Mato Grosso; Aperibé, Iguaba Grande, Laje do Muriaé e Mangaratiba, no Rio de Janeiro; Alpestre, no Rio Grande do Sul; Vidal Ramos, em Santa Catarina; e Araras, Rincão, Monte Azul Paulista e Monguaguá, em São Paulo.

Conforme dados disponíveis no portal do TSE, de 2007 a 2017 foram realizadas no país 396 eleições suplementares para escolha de prefeitos e vices, além de duas para governadores e vices. Nesse período, o TSE destinou R$ 68,3 milhões para os pleitos extras, majoritariamente realizados porque os eleitos no período normal tiveram os mandatos cassados pela Justiça Eleitoral. Neste ano, a verba para eleição extra é R$ 14 milhões.

O atual governador do Amazonas, Amazonino Mendes (PDT), por exemplo, foi eleito em agosto do ano passado, depois que o TSE confirmou a cassação da chapa que comandava o estado, formada por José Melo (Pros) e Henrique Oliveira (SD), acusados de compra de votos nas eleições de 2014. Já o governador do Tocantins, Mauro Carlesse (PHS), foi eleito em junho deste ano em substituição a Marcelo Miranda (MDB) que teve o mandato cassado por abuso de poder econômico também no pleito de 2014.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.