Manaus, 18/05/2022

Brasil

Idosa de 85 anos é resgatada após 72 anos de trabalho em condições análogas à escravidão

Idosa de 85 anos é resgatada após 72 anos de trabalho em condições análogas à escravidão
13/05/2022 15h20

Casos de exploração de pessoas submetidas a condições de trabalho análogas à escravidão ainda são registrados no Brasil 134 anos após a abolição da escravatura.

Uma mulher, de 85 anos, foi resgatada depois de trabalhar para uma mesma família há 72 anos. Nascida em Vassouras, no Centro-Sul do estado do Rio de Janeiro, a senhora trabalhou para a mesma família desde os 12 anos de idade, por três gerações. Ela prestou serviço todos os dias, sem oportunidade de estudo, férias ou salário.

Segundo informações do Ministério do Trabalho e Previdência, o caso foi considerado a exploração mais longa de uma pessoa em situação de escravidão contemporânea no país, desde que o Brasil criou um sistema de fiscalização para enfrentar esse tipo de crime, em maio de 1995. De acordo com o órgão, nos últimos 27 anos, 58.166 pessoas foram resgatadas pelo poder público.

A ação que resgatou a mulher não identificada teve início em 21 de setembro de 2021. No dia 5 de maio, a operação foi concluída. No entanto, o processo ainda não terminou, uma vez que ainda está em negociação o pagamento dos salários e direitos atrasados da vítima.

O resgate foi realizado pela Superintendência Regional do Trabalho do Rio e pelo Ministério Público do Trabalho e acompanhado pelo programa Ação Integrada. A vítima está em um abrigo público sob acompanhamento da assistência social desde seu resgate, na semana passada.

Segundo o Ministério do Trabalho e Previdência, em 2022, 495 trabalhadores foram resgatados no país. Desse total, cinco mulheres foram resgatadas do trabalho escravo doméstico nos estados do Rio Grande do Sul, Paraíba, Bahia, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Outras ações permanecem em andamento.

Das 1.930 pessoas em situação de escravidão resgatadas no país em 2021, 27 vítimas estavam no serviço doméstico. Em 2020, haviam sido apenas três.

Desde 1940, o trabalho escravo se tornou crime no país. Quatro elementos podem definir escravidão contemporânea:

  • trabalho forçado: que envolve cerceamento do direito de ir e vir
  • servidão por dívida: um cativeiro atrelado a dívidas, muitas vezes fraudulentas
  • condições degradantes: trabalho que nega a dignidade humana, colocando em risco a saúde
  • jornada exaustiva: levar ao trabalhador ao completo esgotamento dado à intensidade da exploração, também colocando em risco a saúde e vida

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.