Manaus, 19/06/2021

Mundo

Índia tem novo recorde de casos de covid e vê pandemia sair do controle

Índia tem novo recorde de casos de covid e vê pandemia sair do controle
25/04/2021 12h14

A Índia bateu, nesse sábado (24.abr.2021), o recorde de novos casos de covid-19 pelo 4º dia consecutivo. Foram 349.313 novas infecções registradas em 24 horas –valor que corresponde a 42% do total de 830.288 registrados em todo o mundo.

O primeiro-ministro do país, Narendra Modi, pediu neste domingo (25.abr) que todos os cidadãos se vacinem e tenham cautela com a “tempestade” de infecções abalou o país.

Estávamos confiantes, nosso ânimo melhorou depois de enfrentar com sucesso a 1ª onda, mas esta tempestade abalou a nação”, disse em um discurso transmitidos em estações de rádios do país.

A Índia, de 1,4 bilhão de habitantes, acumula 16.960.172 casos da doença e está apenas atrás dos Estados Unidos, que soma 32.789.653, de acordo com o medidor Worldometer.

Em número total de mortes, a Índia cai para a 4ª posição –atrás de Estados Unidos, Brasil e México. O país soma 192.311 mortes por covid-19, 2,761 nas últimas 24 horas.

Mas a pandemia se acelerou no país. Só no último mês, o número de casos diários aumentou 8 vezes e o de mortes, 10 vezes.

Essa aceleração preocupa as autoridades. Hospitais estão lotados, os suprimentos de oxigênio estão diminuindo e já há registros de pessoas que morrem na fila à espera por atendimento.

Antony Blinken, secretário de Estados dos EUA, afirmou que o governo norte-americano está estudando formas de ajudar à India.

Nossos corações estão com o povo indiano em meio ao terrível surto de covid-19. Estamos trabalhando em estreita colaboração com nossos parceiros no governo indiano e implantaremos rapidamente apoio adicional ao povo da Índia e aos heróis da saúde da Índia”, escreveu em seu perfil no Twitter.

Especialistas ouvidos pelo New York Times disseram que o número de mortos representa apenas uma fração do alcance real da propagação do vírus. O intenso movimento em locais de cremação demonstraria que as mortes reais excedem em muito os números oficiais. Segundo a reportagem, administradores públicos e de hospitais poderiam estar negligenciando os registros de morte ou diminuindo os números.

CENÁRIO

Em entrevista à DW, o cientista Gautam Menon, professor da Universidade de Ashoka, disse que o cenário atual foi causado por uma combinação de fatores.

A negligência por parte dos cidadãos e das autoridades fez todos baixarem a guarda”, afirmou.

As autoridades indianas flexibilizaram as medidas de restrição em março, argumentando que o país vivia a “fase final” da pandemia.

Segundo Menon, “os governos estaduais devem agir adequadamente e adaptar suas medidas à evolução da situação”. O ministro-chefe da capital Nova Delhi, Arvind Kejriwal, afirmou que a cidade vai continuar sob lockdown até 3 de maio.

Menon citou o surgimento de uma nova variante do Sars-CoV-2, coronavírus responsável pela covid-19, como um dos fatores que agravaram a situação do país.

Em fevereiro, soubemos da nova variante que circula na Índia, a partir de relatos vindos de Maharashtra. Agora ela se espalhou por muitos Estados e países. Se tivéssemos agido com mais precisão quando foi detectada pela primeira vez, poderíamos ter sido capazes de diminuir o impacto”, disse.

Segundo ele, a variante indiana, chamada de B.1.617, é mais perigosa e letal por conter “duas mutações críticas que poderiam levar a uma maior capacidade do vírus de se ligar a células humanas. Isso a torna mais eficiente”.

O cientista afirmou que a variante tem se mostrado capaz de escapar do sistema imunológico humano e dos anticorpos criados por uma infecção anterior ou pela vacinação.

Mas a menos que saibamos até que ponto o aumento das infecções pode ser atribuído à nova variante, não seremos capazes de determinar conclusivamente se o laxismo em seguir o comportamento apropriado para combater a covid impulsionou o surto ou se a maior virulência da nova variante é a principal responsável.

Ele declarou que a melhoria da situação está condicionada “à adesão das pessoas às restrições relacionadas à covid e ao recebimento de vacinas. Precisamos vacinar 10 milhões por dia se quisermos atingir nossa meta de vacinar 300 milhões de pessoas até agosto”.

A Índia já aplicou 138 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, segundo o Our World in Data. Mas apenas 1,55% da população está completamente imunizada – ou seja, recebeu as duas doses.

O dia em que mais doses foram aplicadas foi na 6ª feira (23.abr): 5,6 milhões.