Manaus, 20/04/2021

Amazonas

Infectologista alerta para a importância de manter cuidados preventivos, para evitar doenças comuns do período chuvoso

Foto: reprodução/internet
Foto: reprodução/internet
17/02/2021 12h31

O Amazonas está enfrentando o período do ano de maior volume de chuvas na região, o chamado inverno amazônico, o que acende o alerta para a incidência de doenças típicas do período, como H1N1, dengue, zika vírus e chikungunya. Além disso, há uma preocupação grande com a pandemia de Covid-19, que não tem relação com o clima, mas que apresenta aumento de casos no estado, congestionando a rede hospitalar.

Para evitar o surto de doenças típicas do período, especialmente nesse momento difícil de pico de coronavírus, é preciso que a população reforce os cuidados preventivos básicos com a higienização – lavar sempre as mãos com água e sabão. No caso das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti (dengue, zika vírus e chikungunya), é preciso também atenção para evitar ambientes com água parada.

A infectologista e coordenadora do curso de Medicina do Centro Universitário Fametro, Graça Alecrim, ressalta que mesmo com a pandemia de coronavírus, as pessoas não podem deixar de manter os cuidados em relação a essas outras doenças, comuns nesse período. “Dessa forma, evita-se que mais pessoas adoeçam e sobrecarreguem o sistema de saúde, que já está funcionando muito acima do limite”, afirmou.

Ela explica que as doenças infecciosas são aquelas provocadas por microorganismos como bactérias, vírus e fungos. Algumas ações simples podem fazer a diferença para reduzir o risco de contraí-las. Entre elas, lavar as mãos com frequência, manter as vacinas em dia, ter boa alimentação e hidratar-se. Outra ação importante é ficar atento aos objetos que podem acumular água parada, como pneus, garrafas, baldes, vasos de plantas, entre outros, para não deixar que isso aconteça. “As pessoas estão passando mais tempo em casa devido às recomendações de isolamento social para a prevenção ao coronavírus. É importante aproveitar esse tempo livre para vistoriar o quintal, as calhas e não deixar qualquer recipiente que acumule água”, frisou.

Sintomas – De acordo com Graça Alecrim, as doenças infectocontagiosas podem apresentar sintomas parecidos, principalmente no início da infecção. É preciso observar as pequenas diferenças e, se for o caso, procurar imediatamente a ajuda de um especialista. Veja alguns sintomas de cada doença:

Covid-19

– Perda do olfato e do paladar;

– Falta de ar e muita dificuldade para respirar;

– Febre (nem sempre alta);

– Dor no corpo;

– Tosse seca intensa.

H1N1

– Dor no corpo e na cabeça;

– Coriza;

– Tosse (seca ou com catarro);

– Desconforto respiratório;

– Febre (nem sempre alta);

– Dor de garganta.

Dengue

– Febre;

– Manchas avermelhadas pelo corpo;

– Dor de cabeça e ao movimentar os olhos;

– Falta de apetite;

– Vômito.

Chikungunya

– Febre;

– Dor de cabeça;

– Dores intensas nas articulações, especialmente as dos pés, mãos, dedos, pulsos e tornozelos.

Zika

– Febre;

– Dor de cabeça;

– Vermelhidão nos olhos;

– Dores nas articulações;

– Manchas no corpo.