Manaus, 29/09/2022

Amazonas

Investidores fazem visita técnica ao Projeto Potássio Autazes, no município de Autazes

Investidores fazem visita técnica ao Projeto Potássio Autazes, no município de Autazes
13/08/2022 17h00

Investidores fizeram uma visita técnica ao município de Autazes (AM) para conhecer melhor o Projeto Potássio Autazes, na sede da Potássio do Brasil no município. Eles foram recebidos pelo presidente da Potássio do Brasil, Adriano Espeschit, e pelo prefeito do município, Andreson Cavalcante, neste fim de semana.

Na ocasião, Adriano Espeschit apresentou os critérios técnicos-econômicos e de ESG (Meio Ambiente, Social e Governança) da empresa, além dos projetos socioeconômicos e ambientais previstos para Autazes e as fases de andamento do Projeto Potássio Autazes.

Já em Manaus, Stan Bharti, Chairman da Brazil Potash Corporation, se juntou à comitiva de investidores e, logo depois, se encontraram com o governador do Amazonas, Wilson Lima. O governador ressaltou a importância do Projeto Potássio Autazes como uma das soluções de desenvolvimento do estado.

Atualmente na vanguarda da sustentabilidade, a Potássio do Brasil possui uma política de ESG. Na prática, a empresa está pautada em projetos que tenham o menor impacto ao meio ambiente, que sejam socialmente justos e comprometidos com o desenvolvimento humano, além de obedecer às normas e a legislação brasileira de forma integral.

Licenciamento

Atualmente, o Projeto Potássio Autazes está em fase de licenciamento ambiental, incluindo a consulta ao povo indígena Mura de Autazes e Careiro da Várzea, que foi deflagrada em 2019. Em breve, o Projeto poderá seguir com o licenciamento ambiental, proceder a sua implantação e posterior operação, garantindo receitas tributárias para Autazes, para o Amazonas e para a União, decorrentes tanto da circulação de bens e serviços da longa cadeia de suprimento quanto da comercialização de sua produção.

No campo da geração de emprego e renda, a Potássio do Brasil, durante a fase de construção da planta fabril (período de 3 a 5 anos), irá gerar, em média, 2.600 empregos diretos e vários indiretos, na região, em outros estados brasileiros e, até mesmo, no exterior. Já na fase de operação da fábrica de fertilizantes de Cloreto de Potássio serão criados cerca de 1.300 postos de trabalho diretos e 16.900 indiretos.

Esta fase de operação tem duração prevista para mais de 23 anos. Outro benefício previsto pela empresa é que a maior parte da mão de obra contratada para a fase de operação do empreendimento será local, resultando em expressivo incremento de renda à população residente de Autazes e região do entorno, dinamizando o mercado regional de bens e serviços também.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.