Manaus, 23/05/2022

Brasil

Justiça condena 4 e absolve filho de Flordelis por morte de pastor

Justiça condena 4 e absolve filho de Flordelis por morte de pastor
13/04/2022 10h40

Rio de Janeiro – Após mais de 20 horas de julgamento, o 3º Tribunal do Júri, de Niterói, condenou quatro réus por participação do caso que envolve a morte do pastor Anderson do Carmo, marido da deputada cassada Flordelis dos Santos de Souza. Um deles, o filho adotivo da ex-parlamentar, embora condenado por associação criminosa, foi absolvido pela morte do pastor.

Foram condenados:

Carlos Ubiraci Francisco da Silva, filho afetivo da ex-parlamentar, por associação criminosa, com pena de dois anos e dois meses com início semiaberto. Ele, no entanto, foi absolvido da acusação de homicídio triplamente qualificado e de tentativa de homicídio;

Adriano dos Santos Rodrigues, filho biológico da pastora, por uso de documento falso e associação criminosa, a quatro anos e seis meses em regime semiaberto;

Marcos Siqueira, ex-policial, por uso de documento falso e associação criminosa, a cinco anos e 20 dias de prisão em regime fechado;

Andrea Santos Maia, esposa do ex-policial, por uso de documento falso e associação criminosa, a quatro anos e três meses em regime semiaberto.

O quinto réu, André Luiz de Oliveira, filho afetivo da ex-parlamentar, será julgado em nova data. Ele não participou porque seu advogado passou mal. Flordelis e mais três rés serão julgadas em 9 de maio.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, André Luiz e Carlos Ubiraci Francisco da Silva participaram de ao menos seis planos frustrados de envenenamento do pastor Anderson. Eles foram denunciados pelo homicídio.

Segundo as investigações, Adriano repassou a Flordelis carta fraudada, na qual Lucas Cézar dos Santos assumiria que tinha atirado no pastor a mando de dois irmãos. Lucas Cézar, que teria comprado a arma do crime, e Flávio dos Santos Rodrigues, filho biológico, acusado de atirar no padrasto, foram condenados ano passado.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.