LANA REBATE ACUSAÇÃO DE IR CONTRA O NAÇA

Após o apito final do conturbado jogo entre Manaus FC e Nacional FC, no último dia 10 de abril, o sentimento do elenco azulino foi de orgulho. Fora de campo, a torcida aplaudiu seu time, como não fazia há anos. Dentro das quatro linhas, comissão técnica e jogadores, também falavam da sensação de ter ido longe, mesmo tão desacreditados, porém, todos lamentavam os fatos que, por inúmeras vezes, pararam e prejudicaram o andamento da partida.

No dia seguinte, 11 de abril, jogadores, comissão técnica e demais colaboradores foram comunicados pela diretoria do Nacional FC de que o clube ingressaria com uma ação no Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Amazonense de Futebol e que, uma vez o caso aceito, todos deveriam voltar às suas funções e atividades, já que o contrato expira somente no final de abril. Desta forma, todos voltaram às atividades normalmente até o julgamento.

Em entrevista, o técnico do Naça, Aderbal Lana, declarou que, após o jogo, acreditava que tudo estava encerrado, afinal, dentro de campo, o resultado foi 0 a 0, mas, pelo regulamento o adversário saiu favorecido e classificado às finais do Campeonato Amazonense, rebatendo a acusação de ter contrariado e contestado a diretoria do Naça por ação no TJD.

“Nós estamos dando sequência nos trabalhos, pois fomos comunicados pela diretoria em uma reunião que continuássemos os treinamentos. Para mim tinha encerrado. Para mim o futebol dentro de campo é que se faz o resultado, mas estamos cumprindo ordem. Temos contrato até o fim do mês. Todos os jogadores e comissão técnica”, afirmou.

Sobre a ausência dos jogadores Fabinho, Paulinho Brasília e Matheus, Lana admite que para não revelar os motivos pessoais pelos quais os jogadores tiveram que se ausentar do clube, equivocadamente disse que eles teriam pedido dispensa, o que não é verdade.

“Eu não gosto de falar da vida pessoal de ninguém. O Fabinho teve um problema muito pessoal para resolver, o Paulinho também. No caso, do Matheus, foi doença familiar e é complicado você expor isso. Fui infeliz em colocar desta forma. Mas os atletas estão à disposição do clube e no aguardo da decisão do julgamento, se necessário, eles voltam. Afinal, o contrato com o Nacional vai até final de abril”, destaca.

Aderbal Lana é o treinador que mais vezes defendeu a camisa do Nacional FC, em números é o que mais trouxe títulos para a Vila Municipal e mais uma vez, conseguiu mostrar a força do Leão dentro de campo. Começou a temporada com um time totalmente desacreditado e, no decorrer do campeonato, foi superando seus adversários, até ficar entre os quatro melhores no primeiro e segundo turno.

Treinos continuam
Lana e seus comandados estão treinando diariamente, após deliberação da diretoria nacionalina, até o julgamento da ação marcada para ocorrer no dia 22 de abril. O técnico faz questão de finalizar mostrando respeito pela presidência do clube, bem como o Nacional FC.

“Sou trabalhador e respeito a decisão do clube. Nunca disse que era contra a diretoria, eles tomam a decisão que lhes couberem, eu só acato, até onde me respeitarem e, aqui, sou tratado com respeito, pelo presidente, seu vice e demais diretores. Não tenho motivo algum para contrariar uma decisão que não cabe a mim”, completa.