]

Manaus, 24/01/2022

Cultura e Entretenimento

Levantador de toadas do Boi Garantido é tema de exposição no Museu do Amanhã, no RJ

Paulo Sicsu
Paulo Sicsu
16/12/2021 09h00

MANAUS – O levantador oficial de toadas do Boi Garantido, David Assayag é um dos destaques da exposição “Fruturos – Tempos Amazônicos”, que estreia nesta quinta, 16 de dezembro , no Museu do Amanhã, localizado na Zona portuária do Rio de Janeiro. A exposição visa apresentar o bioma Amazônia com seus ritmos, tempos e faces e terá duração de seis meses.

De acordo com Jéssica Tabuti, editora de Conteúdo & Sustentabilidade do Museu do Amanhã, a exposição está dividida em abordagens. “A exposição será formada por seis áreas, incluindo um mergulho na biodiversidade da região, nos modos de vida dos indígenas, das populações ribeirinhas, quilombolas e extrativistas, nas grandes obras que transformaram o bioma, na cultura local e, por fim, no modelo de desenvolvimento socioeconômico para a população amazônica”, descreveu.

Ainda de acordo com a profissional, a exposição prioriza lançar um olhar além do que é comumente representando sobre a região. “É preciso que se valorize os saberes científicos, os conhecimentos tradicionais e a floresta em pé”, destacou. Ainda segundo ela, a exposição conta com a participação de entidades de peso que atuam diretamente na luta pela preservação do bioma. “A exposição tem como parceiros o IPAM, INPA, Imazon, ISA, Instituto Mamirauá, USP, Museu Goeldi, INPE, entre outros”, elencou.

Cultura

Jéssica detalhou parte da exposição. “A área “Somos Amazônia” irá abordar a cultura da Amazônia, incluindo danças, festas, música, literatura e outras manifestações, a toada é um dos ritmos citados no interativo e o David Assayag foi o artista que selecionamos para ser o representante desse ritmo”, explicou.

A editora acrescentou um pouco mais sobre o conteúdo. “Teremos um breve descritivo sobre a história do David e registros fotográficos”, observou. O registro em foto é do fotógrafo parintinense especializado no festival folclórico de Parintins, Paulo Sicsu. “A exposição terá duração de seis meses e tem possibilidade de ser itinerada para outros estados do Brasil, bem como outros países” adiantou Tabuti.

Para David Assayag, artista e homem da Amazônia, fazer parte da exposição no Museu do Amanhã é mais um reconhecimento sobre seu trabalho. “Canto a Amazônia há mais de trinta anos. E faço isso naturalmente afinal, sou daqui. Ter o registro em uma exposição dessa magnitude só prova que estamos no lugar certa e na hora certa para defender e preservar esse importante patrimônio da humanidade”, acrescentou David Assayag.

 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.