Manaus, 06/10/2022

Política

Lula e Bolsonaro entram oficialmente em temporada de campanha ao cortejar eleitores

Lula e Bolsonaro entram oficialmente em temporada de campanha ao cortejar eleitores
17/08/2022 14h00

O presidente de extrema direita Jair Bolsonaro e seu adversário de esquerda Luiz Inácio Lula da Silva lançaram formalmente suas campanhas nesta terça-feira para as eleições mais polarizadas do Brasil em décadas em outubro.

A disputa coloca um populista nacionalista com uma agenda apoiada por conservadores cristãos contra um ex-líder sindical e presidente de dois mandatos do país (2003-2010), que foi preso por corrupção até que suas condenações fossem anuladas.

“Nosso país não quer mais corrupção, quer ordem e prosperidade”, disse Bolsonaro, ex-capitão do Exército, a uma multidão no início da tarde de terça-feira em Juiz de Fora, onde foi esfaqueado durante a campanha de 2018 que o levou ao poder. uma onda de sentimento anti-Lula.

Seus apoiadores interromperam seu discurso cantando “Lula ladrão”.

Lula, aos 76 anos, nove anos mais velho que seu rival, iniciou sua campanha com uma parada nos portões da fábrica de automóveis Volkswagen, na zona industrial de São Bernardo dos Campos, nos arredores de São Paulo, onde se tornou líder trabalhista na década de 1970 defendendo melhores salários apesar da repressão sob a ditadura militar.

Em um vídeo postado nas redes sociais na manhã desta terça-feira, Lula disse que a fome voltou ao Brasil sob Bolsonaro e a inflação está atingindo famílias que não podem sobreviver com um salário mínimo.

“Vamos ter muito trabalho para reconstruir este país”, disse ele lançando sua candidatura para retornar ao cargo. “Quero ser presidente para mudar a vida das pessoas novamente, porque do jeito que está, ninguém aguenta mais”, postou.

Lula tem uma vantagem de dois dígitos na maioria das pesquisas de opinião para a votação de 2 de outubro, e sua vantagem sobre Bolsonaro aumenta nas simulações de um segundo turno esperado para 30 de outubro.

Uma pesquisa de segunda-feira do pesquisador IPEC, anteriormente conhecido como IBOPE, mostrou Lula com 44% de apoio dos eleitores contra 32% de Bolsonaro no primeiro turno, onde estão muito à frente de outros 10 candidatos. Em um segundo turno, Lula seria eleito por 51% dos votos contra 35% de Bolsonaro, uma diferença de 16 pontos.

A pesquisa disse que 57% dos brasileiros desaprovam a forma como Bolsonaro governa o país e 37% aprovam. 

Ainda assim, Bolsonaro diminuiu a liderança de Lula nas últimas semanas, aumentando os gastos com assistência social para brasileiros pobres e pressionando a petrolífera estatal Petrobras a reduzir o preço do combustível, um grande fator para aumentar a inflação.

Na noite desta terça-feira, Lula e Bolsonaro estiveram na mesma sala da posse do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes para chefiar a autoridade eleitoral do Brasil, o Tribunal Superior Eleitoral, cujo discurso foi marcado por uma defesa enfática da democracia e do sistema eleitoral.

Moraes declarou que é um orgulho que a democracia brasileira possa apurar e publicar os resultados eleitorais no dia da votação, resultado de um sistema de votação eletrônica que Bolsonaro tem atacado repetidamente.

Moraes, um crítico do presidente, liderou investigações sobre notícias falsas sendo espalhadas como ferramenta política pelo círculo íntimo de Bolsonaro.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.