Manaus, 16/05/2022

Amazonas

Manaus foi a capital que mais investiu em saneamento no Norte e Nordeste nos últimos anos

Manaus foi a capital que mais investiu em saneamento no Norte e Nordeste nos últimos anos
23/03/2022 14h00

Manaus é a capital que mais investiu em saneamento no Norte e Nordeste, nos últimos anos. Desde que assumiu a responsabilidade pelos serviços de água e esgotamento sanitário, em 2018, a Águas de Manaus investiu, em média, R$ 167,48 milhões por ano. O montante se iguala ao investimento do Recife no mesmo período (2018 a 2020). Os dados são do Ranking do Saneamento 2022, promovido pelo Instituto Trata Brasil e GO Associados.

As perspectivas são de mais avanços, com a previsão de R$ 1 bilhão em saneamento para os próximos cinco anos. A cobertura de esgotamento sanitário, que já saltou de 19% para 26%, chegará a 45% até 2025. Serão quase um milhão de manauaras diretamente beneficiados.

Desde a chegada da Águas de Manaus já foram investidos R$ 500 milhões em saneamento, com destaque para a ampliação do abastecimento, que encontra- se próximo à universalização. As áreas de vulnerabilidade, como becos, palafitas e rip-raps, receberam infraestruturas adequadas de abastecimento, com inclusão das famílias na Tarifa Social, ampliada de 20 mil para 86 mil famílias. Mais de 2 milhões de pessoas foram alcançados com o Vem com a Gente, que percorreu todos os bairros da capital, e implantou 150 km de redes de água, beneficiando uma população aproximada de 126 mil pessoas.

Os investimentos já refletem nos indicadores recentes de Manaus. A cidade é a capital que mais aumentou seus níveis de abastecimento de água tratada nos últimos cinco anos no país, crescendo 11,06%. Já em relação ao esgotamento sanitário, Manaus é a cidade que mais avançou em coleta total de esgoto no Brasil, com um incremento de 115,62% (ou de 11,77 pontos percentuais), tendo mais do que dobrado o número de ligações de esgoto no período analisado.

NOVAS PERSPECTIVAS

Com o objetivo de acompanhar o crescimento de Manaus, mais de 30 comunidades originadas de áreas de ocupação e que passaram recentemente pelo processo de regularização fundiária, vão receber sistemas completos de abastecimento, beneficiando uma população superior a 200 mil moradores.

“Não preciso mais acordar de madrugada ou passar grande parte do meu dia carregando baldes e garrafas. Posso dormir tranquila, pois sei que terei água em casa na hora que eu abrir a torneira. Isso é uma grande vitória”, diz a dona de casa Ivete Moura, 55 anos, moradora do Coliseu, na zona Leste de Manaus.

As ações de regularização do abastecimento contribuíram para reduzir os índices de perdas de água tratada. O número já reduziu em quase 20 pontos percentuais, saindo da casa dos 74,7%, em 2018, para os atuais 57,3%.

“Estamos à frente dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário há menos de quatro anos, conseguindo avançar significativamente para um novo momento no saneamento de Manaus. Investimentos na ordem de R$ 1 bilhão para os próximos cinco anos, acompanhados de eficiência operacional, atenção ao vulnerável e relacionamento com a cidade, devem nortear nossas ações e contribuir para o desenvolvimento da cidade”, destaca o diretor-presidente da Águas de Manaus, Thiago Terada.

Vale ressaltar que o Ranking do Saneamento 2022, promovido pelo Instituto Trata Brasil e GO Associados, tem como base os dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) de 2020. Logo, existe uma defasagem natural nas informações, o que faz com que os avanços realizados na capital amazonense ainda não sejam tão representativos no estudo. A Águas de Manaus reforça que sua capacidade de investimento e modelo operacional promoverão uma verdadeira transformação no desenvolvimento sustentável na cidade, a partir do saneamento.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.