Manaus, 19/08/2022

Brasil

Moderna avança em duas potenciais vacinas da Ômicron

AMT Camera System
7/7/2021
11:50
0.30
8.0
80
Diffraction
#2021-16-1H (B1)
#H1103 Nasal Turbinate





XpixCal=NaN
YpixCal=NaN
Unit=A
##fv3
4096
3008
7.0.1.147
Blank1
Blank2
##fv4
AMT Camera System 7/7/2021 11:50 0.30 8.0 80 Diffraction #2021-16-1H (B1) #H1103 Nasal Turbinate XpixCal=NaN YpixCal=NaN Unit=A ##fv3 4096 3008 7.0.1.147 Blank1 Blank2 ##fv4
11/07/2022 20h30

A farmacêutica Moderna anunciou, nesta segunda-feira, que vai avançar com duas candidatas a vacinas contra a variante Ômicron do coronavírus, uma delas desenvolvida contra a variante BA.1 e outra contra as variantes BA.4 e BA.5.

Fabricantes de imunizantes, incluindo a Moderna e a concorrente Pfizer, estão desenvolvendo vacinas atualizadas para combater as subvariantes da Ômicron BA.4 e BA.5, de rápida propagação, e que ganharam terreno nos Estados Unidos nas últimas semanas.

A Moderna disse que sua decisão de desenvolver vacinas ambivalentes foi fundamentada em preferências diferentes de mercados para doses contra as subvariantes.

Vacinas ambivalentes são desenvolvidas com o objetivo de repelir duas variantes diferentes do coronavírus — a variante original de 2020, e novas variantes da Ômicron.

A Moderna afirmou que novos dados clínicos para sua vacina mRNA-1273.214 vaccine, desenvolvida para combater a variante BA.1, mostraram respostas de anticorpos de neutralização significativamente mais altas contra as subvariantes BA.4 e BA.5, em comparação com a atual dose de reforço autorizada.

A segunda candidata da farmacêutica para dose de reforço, a mRNA 1273.222, é baseada na cepa BA.4/5 e está sendo desenvolvida de acordo com orientações mais recentes da agência de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA).

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.