Manaus, 10/08/2022

Brasil

Morto ao lado do carro, Fernando Magarça havia celebrado horas antes a carteira de habilitação; polícia investiga briga de trânsito

Morto ao lado do carro, Fernando Magarça havia celebrado horas antes a carteira de habilitação; polícia investiga briga de trânsito
04/08/2022 11h20

Uma das hipóteses para a morte do compositor Fernando Alberto da Silva, o Fernando Magarça, é de que ele tenha se envolvido em uma briga de trânsito. Ele foi baleado logo atrás do seu carro, no meio da Avenida Dom João VI, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, na tarde desta quarta-feira (3).

Horas antes do crime, ele havia celebrado a recuperação de sua carteira de habilitação em uma postagem em rede social. “Aí, minha gente, milagres acontecem. Olha o milagre, aí (…) Queria agradecer pelo direito de ter de novo a minha habilitação”, falou.

Testemunhas contaram que viram uma discussão antes de o compositor ser baleado. O caso foi próximo à estação do Magarça do BRT.

A Polícia Militar informou que agentes do 27º BPM (Santa Cruz) encontraram o homem já sem vida, próximo a um carro.

Compositor de bambas

Magarça tinha 53 anos e uma lista de músicas cantadas por nomes como Zeca Pagodinho, Alcione, Dudu Nobre e Xande de Pilares, com quem tem fotos e vídeos postados em uma rede social.

É autor de, entre outras, as canções: “Quem não sambou”, “Amor que tenho pra te dar”, “Cangaceiro”, “Fé e Raíz” e “Eta povo pra lutar”.

Em suas postagens, costuma exaltar sua família: a mulher, Bruna, e duas filhas.

Um vídeo publicado nesta terça-feira, horas antes da morte, aparecem flores e um bilhete que deixou para a esposa: “Mãe das minhas filhas, mulher da minha vida, receba”.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.