]

Manaus, 30/11/2021

Amazonas

19 mil pessoas deixaram Manaus utilizando o transporte intermunicipal

19 mil pessoas deixaram Manaus utilizando o transporte intermunicipal
16/11/2021 12h50

A Operação Viagem Segura – Proclamação da República registrou, de sexta (12/11) a segunda-feira (15/11), a saída de 19.929 pessoas de Manaus, por meio do transporte rodoviário e hidroviário intermunicipal de passageiros. O dado é da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados e Contratados do Amazonas (Arsepam), responsável pela ação que contabilizou 809 fiscalizações.

 

Durante essa edição, os fiscais do órgão intensificaram as abordagens de orientação em relação à Lei Estadual n° 5.653, de 21 de outubro de 2021, que dispõe sobre a obrigatoriedade de dispensadores de álcool em gel 70% dentro dos ônibus que operam na modalidade regular (viagens entre terminais rodoviários).

 

No período da operação, uma empresa que opera na linha Iranduba-Manaus foi notificada, porém, no dia seguinte após a ação dos fiscais, foram afixados dispensadores do composto em todos os veículos da frota.

 

O diretor-presidente da Arsepam, João Rufino Júnior, informou que foram emitidos 11 autos de constatação para nove empresas no período da operação. A principal irregularidade constatada foi a ausência de cadastro junto à Arsepam.

 

Ainda de acordo com ele, as empresas passarão por avaliação do corpo técnico e jurídico do órgão. Os procedimentos podem acarretar no pagamento de uma multa no valor de até R$ 4.636,42 (no caso de reincidência, o preço pode dobrar), assim como a cassação da licença para operar no modal.

“Estamos nos preparando para realizar as operações das festas de fim de ano, Natal e Réveillon. Certamente haverá o aumento do fluxo de pessoas que utilizam os serviços de transporte rodoviário e hidroviário rumo aos municípios do interior do Amazonas”, acrescentou o gestor.

 

Rodoviário – Por meio do transporte rodoviário intermunicipal, 9.211 pessoas deixaram a capital amazonense em direção a outros municípios do estado, sendo o maior fluxo de saída registrado no posto do Terminal Rodoviário Engenheiro Huascar Angelim – Rodoviária de Manaus, no bairro Flores, zona centro-sul de Manaus, com 3.316 pessoas, o que representa 36% do total de passageiros que optaram por essa modalidade.

 

Em segundo colocado, com maior registro de passageiros, ficou o posto Ponte Jornalista Phelippe Daou (Ponte Rio Negro), em Iranduba, com 2.263; em terceiro a Barreira de Fiscalização Estadual (AM-010 e BR-174), bairro Santa Etelvina, zona norte, com 2.024; e em quarto, a Barreira da Avenida das Flores, bairro Lago Azul (entrada do conjunto residencial Viver Melhor 1), zona norte, com 1.608.

 

O transporte rodoviário intermunicipal contabilizou 531 fiscalizações, sendo 253 na Ponte Rio Negro; 124 na Barreira de Fiscalização Estadual; 111 na Rodoviária de Manaus; e 43 na Barreira das Flores.

Os destinos mais procurados pela população que utilizou essa categoria foram Manacapuru (1°), Iranduba (2°) e Presidente Figueiredo (3°), municípios distantes, respectivamente, 68, 27 e 117 quilômetros de Manaus.

Hidroviário – Durante essa edição da operação, 10.718 pessoas deixaram Manaus utilizando embarcações, como lancha rápida, barco a motor, navio a motor, expressos ou jato e ferryboats. O modal é o principal meio de locomoção de passageiros no Amazonas.

 

De competência da Arsepam, o posto com maior saída foi o Porto da Ceasa, com 6.968 usuários, contando com 65% do total de passageiros que optaram por deixar a capital por meio do Rio Negro. No local foram efetuadas 204 fiscalizações.

 

Pelo Porto de Manaus/Roadway/Manaus Moderna, 3.750 pessoas deixaram Manaus e 74 fiscalizações foram realizadas. Os municípios mais procurados no período foram Careiro da Várzea, Tefé e Coari, respectivamente a 25, 523 e 363 quilômetros de Manaus.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.