Manaus, 29/01/2023

Brasil

Polícia acha bilhete que atraiu família de Elizamar até chácara

Polícia acha bilhete que atraiu família de Elizamar até chácara
24/01/2023 15h40

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) informou, nesta segunda-feira (23), que encontrou um bilhete escrito a mão com uma mensagem que pedia que a cabelereira Elizamar Silva, o marido dela, Thiago Gabriel Belchior, e os filhos do casal fossem até a chácara do pai de Thiago, Marcos Antônio.

No bilhete, no qual o autor se referiu a Thiago como “chefe” e a Elizamar como “Lize”, a pessoa dizia que estava precisando de “ajuda urgente” e pedia que o casal fosse até o local e que levasse “os meninos”, uma referência aos três filhos mais novos da cabeleireira. A chácara foi o último lugar em que a cabeleireira e as crianças foram vistas antes de morrer.

– Chefe, como está seu dia. Vou precisar de ajuda urgente. Thiago tem como você vir na chácara que eu vou explicar o que [está] acontecendo. Se puder, vem hoje com Lize e os meninos – dizia a mensagem.

Bilhete encontrado pela polícia Foto: Divulgação/Polícia Civil do DF

O papel com a mensagem para Thiago foi encontrado no cativeiro onde parte das vítimas foi mantida, em Planaltina, no Distrito Federal, mesmo local onde estava o corpo esquartejado do sogro de Elizamar, Marcos Antônio Lopes de Oliveira. Além do bilhete, a polícia também encontrou dezenas de papéis com anotações dos nomes das vítimas, contas e senhas de cartões bancários.

Segundo o delegado Ricardo Viana, responsável pelas investigações do caso, a polícia ainda não sabe quem escreveu o bilhete e nem como Thiago teve acesso à mensagem.

MAIS TRÊS CORPOS SÃO ENCONTRADOS
A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) informou, na madrugada desta terça (24), que encontrou mais três corpos que podem estar relacionados ao desaparecimento da família da cabeleireira Elizamar Silva. Os cadáveres foram encontrados dentro de uma cisterna, em Planaltina, no Distrito Federal. A remoção das vítimas teve o apoio do Corpo de Bombeiros.

Os corpos encontrados ainda não foram reconhecidos, mas, de acordo com o delegado Ricardo Viana, que investiga o desaparecimento e as mortes envolvendo a família de Elizamar, os cadáveres são de duas mulheres – uma delas adolescente – e de um homem. O local onde eles estavam fica a cerca de cinco quilômetros do cativeiro onde vítimas da chacina no DF foram mantidas reféns.

Diante do novo desdobramento do caso, a Polícia Civil agora suspeita que os corpos sejam das três vítimas que ainda estavam desaparecidas: Thiago Gabriel Belchior, de 30 anos, marido de Elizamar; Claudia Regina Marques de Oliveira, ex-mulher de Marcos Antônio Lopes de Oliveira, pai de Thiago; e Ana Beatriz Marques de Oliveira, filha de Claudia e Marcos Antônio.

A polícia informou que foi um dos suspeitos pelos crimes contra a família da cabeleireira quem colaborou com a investigação e indicou a localização dos corpos encontrados na madrugada desta terça. As vítimas estavam em estado avançado de decomposição e com sinais de violência.

CINCO PESSOAS JÁ FORAM IDENTIFICADAS
De um total de dez pessoas da família de Elizamar que estavam desaparecidas, cinco já foram identificadas: a própria cabeleireira Elizamar Silva, de 39 anos; os três filhos dela e de Thiago – Gabriel, de 7 anos, e os gêmeos Rafaela e Rafael de 6 anos -; e o pai de Thiago, Marcos Antônio Lopes de Oliveira, de 54 anos.

Além disso, a polícia também investiga se dois corpos encontrados carbonizados dentro de um veículo queimado na cidade de Unaí, em Minas Gerais, seriam da mãe de Thiago, Renata Juliene Belchior, de 52 anos, e da irmã dele, Gabriela Belchior de Oliveira, de 25 anos.

Até o momento, três suspeitos de participação nas mortes já foram identificados e presos, são eles: Gideon Batista de Menezes, de 55 anos; Horácio Carlos Ferreira Barbosa, de 49 anos; e Fabrício da Silva Canhedo, de 34 anos. A polícia também identificou um quarto suspeito de ter participado dos crimes, que seria Carlomam dos Santos Nogueira, de 26 anos, mas ele está foragido.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.