PREFEITURA DE MANAUS REALIZA FORMAÇÃO DOS MEDIADORES DO PROGRAMA ‘NOVO MAIS EDUCAÇÃO’

SAMSUNG CSC

Prefeitura de Manaus realizou nesta quinta-feira, 16/5, a abertura da formação dos mediadores do programa ‘Novo Mais Educação’, a partir das temáticas de letramento, língua portuguesa e matemática. O evento, em tempo integral, segue até esta sexta-feira, 17/5, na Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério (DDPM) da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

O Programa, que este ano iniciou em abril e vai até dezembro, é uma ação do Ministério da Educação (MEC) e executado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e tem como objetivo melhorar a aprendizagem em língua portuguesa e matemática no ensino fundamental, por meio da ampliação da jornada escolar de crianças e adolescentes. Cada mediador que trabalha junto com professor recebe, em média, R$ 400, valor de acordo com a quantidade de turmas.

Na rede municipal de ensino, o Programa é desenvolvido desde 2009 e ocorre no contraturno. Participam um total de 190 mediadores, entre graduados e acadêmicos, a partir do 6º período, em 79 escolas municipais. Com isso, são beneficiados aproximadamente 8,3 mil alunos do 3º ao 9º anos do ensino fundamental. As unidades de ensino que têm 5h semanais do programa realizam atividades de língua portuguesa e matemática. Já as com 15 horas semanais, são as escolas que, além das duas disciplinas, também recebem atividades complementares voltadas para o esporte, arte, cultura e lazer.

A coordenadora do programa Novo Mais Educação na Semed, Ranna Priscila Torres, destacou a importância da formação para os mediadores que auxiliam o trabalho do professor em sala de aula. “A formação precisa ser continuada, para que possamos trabalhar na evolução da rede como um todo. Alguns mediadores já são formados em língua portuguesa, matemática e Pedagogia e outros ainda estão na graduação. Os mediadores já estão atuando e eles vão adquirir um conhecimento a mais sobre as temáticas”, concluiu.

De acordo com a coordenadora da equipe de formadores dos anos iniciais do DDPM, Lucilene Pacheco, é fundamental que os mediadores cada vez mais se qualifiquem, pois no final os alunos são os grandes beneficiados.

“Nosso trabalho junto com esses mediadores é justamente sinalizar diferentes metodologias que possam ser aplicadas, em especial para as crianças que precisam ter um olhar diferenciado também, seja em língua portuguesa ou matemática”, destacou.

Para o mediador de língua portuguesa Edson dos Santos Oliveira, que atua na escola municipal Tereza Cordovil Guimarães, na estrada da Vivenda Verde, ramal do Bancrevea, no Tarumã, zona Oeste, a formação é ótima para seu trabalho com aproximadamente 120 alunos participantes do programa.

“Aqui nós levamos um pouco a mais do saber dos outros professores. Em cada formação, ganhamos conhecimento e aprendemos, bem como os alunos nos ensinam também. Esse momento nos qualifica cada vez mais a ensinar e alfabetizar da melhor forma possível as crianças”, comentou.

Com total de 60 alunos, a mediadora de matemática Adriana Laila Souza Rosa, da escola municipal Roberto dos Santos Vieira, Jorge Teixeira, zona Leste, quer levar para suas crianças uma maneira mais leve de aprender e também perder o medo ao encarar os números da matemática.

“Como a matemática é uma disciplina que já tem certa dificuldade, o aluno que já vem com esse medo de estudar a disciplina na escola, com essa oficina aprendemos de forma mais simples, leve e interessante, além de conhecermos materiais mais acessíveis aos alunos”, contou.