Manaus, 17/04/2021

Amazonas

Raimundo Sobrinho ( Sem Etnia) É Considerado O Pior Gestor Que Passou Pela FEI

Raimundo Sobrinho ( Sem Etnia) É Considerado O Pior Gestor Que Passou Pela FEI
04/03/2021 10h22

Alguns líderes indígenas, entraram em contato com a redação do Portal do Generoso para externarem sua preocupação com os ataques sofridos pelo atual Presidente da Fundação Estadual do Índio (FEI), Xinana Munduruku. Eles nos informaram que o Ex-Presidente da FEI, Raimundo Sobrinho sem etnia, e seu Ex-assessor Robério Kambeba, tem usado as redes sociais para disseminar notícias falsas a respeito do atual Presidente.

” Raimundo Sobrinho é considerado sem etnia porque ele não é considerado índio. O Ex- diretor-presidente da Fundação Estadual do Índio (FEI) no Amazonas, Raimundo Nonato Ferreira Sobrinho, 50 anos, assinou um Termo de Compromisso do 5º Ofício Cível do Ministério Público Federal, no dia 6 de junho, onde reconheceu que não pertence à etnia indígena Waimiri Atroari, e se comprometeu a não utilizar os nomes Waimiri, Atroari ou qualquer outra expressão referente ao grupo étnico como elemento de sua identificação no nome, sobrenome ou apelido, em qualquer ocasião. Ele tenta entrar a todo custo na FEI, FUNAI, DSEI E OUTROS ORGÃOS INDÍGENAS DA ESFERA ESTADUAL E FEDERAL. Esse senhor foi o pior gestor que passou pela fundação que nos representa. Só viajava com seu fiel escudeiro, e assessor Robério Kambeba para uma região, nunca fizeram nada por nós indígenas, o que o Raimundo Sobrinho sem etnia e seu assessor Robério Kambeba ganharam, foi trinta mil em diárias, está tudo no portal transparência. Robério Kambeba no tempo que ficou na FEI, destinou as diárias somente para onde ele morava, São Paulo de Olivença e deixou te atender os outros polos índigenas. Não queremos ele de volta, Xinana Muduruku é nosso presidente, cuida de nós, e não se compara a esse Raimundo sem etnia e esse Robério Kambeba que não representa nosso povo Kambeba e sim seus interesses pessoais e que passou um bom tempo na FEI, e o que fizeram por nós? Nada!” Afirmam lideranças indígenas ouvidas pela redação.

O diretor-presidente da Fundação Estadual do Índio (FEI) no Amazonas, Raimundo Nonato Ferreira Sobrinho, 50 anos, assinou um Termo de Compromisso do 5º Ofício Cível do Ministério Público Federal, no dia 6 de junho, onde reconheceu que não pertence à etnia indígena Waimiri Atroari, e se comprometeu a não utilizar os nomes Waimiri, Atroari ou qualquer outra expressão referente ao grupo étnico como elemento de sua identificação no nome, sobrenome ou apelido, em qualquer ocasião.
Robério Kambeba teria destinado diárias, enquanto funcionário da FEI apenas para sua região de São Paulo de Olivença e deixou de atender outros polos indígenas e não representa o povo Kambeba afirmam lideranças.
As diárias gastas por Raimundo sem etnia e Robério Kambeba