Manaus, 24/09/2022

Política

Ricardo Nicolau ouve trabalhadores do transporte especial e propõe mais policiamento e tecnologia para inibir assaltos nas rotas do Distrito

Ricardo Nicolau ouve trabalhadores do transporte especial e propõe mais policiamento e tecnologia para inibir assaltos nas rotas do Distrito
18/08/2022 12h50

O candidato ao governo do Amazonas pela coligação ‘Nós o Povo’ (Solidariedade/PSB), Ricardo Nicolau, afirmou que os trabalhadores do Polo Industrial de Manaus (PIM) e os motoristas dos ônibus que fazem as rotas para as empresas estão expostos à ação de criminosos por falta de segurança. O candidato propõe o aumento do policiamento ostensivo e o uso de tecnologia e inteligência para coibir a onda de assaltos no transporte especial.

Nesta quarta-feira, 17, Ricardo Nicolau e sua candidata a vice, professora Cristiane Balieiro (PSB), participou de um encontro com representantes do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Estadual (Sindespecial), que manifestaram apoio à candidatura e apresentaram como principal demanda mais segurança para trabalhar.

“Estamos aqui para discutir alternativas e sugestões para ampliar a segurança de todos. Trabalhadores e trabalhadoras do Distrito Industrial estão sujeitos a assaltos todos os dias devido à falta de segurança. Vamos aumentar o policiamento nas áreas mais críticas para dar segurança aos trabalhadores do Distrito e usar a tecnologia, em conjunto com as empresas, para ampliar o monitoramento dos veículos e agilizar a ação policial em casos de assalto. Se Deus quiser, no nosso governo não haverá delegacia fechada”, garantiu.

O presidente do Sindespecial, Wiliam Enock, afirmou que a categoria está à mercê da criminalidade. Segundo ele, os motoristas já tentaram abrir diálogo com o governo do Amazonas por diversas vezes, mas nunca receberam retorno.

“Vários colegas foram vítimas de assalto durante as rotas e os bandidos levam até os pertences dos passageiros. Agora, tem uma quadrilha que está se especializando em roubar fiação e as baterias dos ônibus, e o sindicato é acionado porque o patrão quer descontar no salário dos motoristas. Assalto a ônibus tem que acabar. Já tentamos reunião com o governo, mas não há prisão dos criminosos. Não há resposta. Muitos trabalhadores estão deixando de usar a rota e indo de carro para o trabalho por medo dos assaltos”, afirmou.

Durante o encontro, a categoria relatou que já houve um caso em que criminosos disparatam 18 vezes contra um único ônibus. O motorista Jhony Ramos Mota falou sobre o medo que sofre todos os dias ao sair para trabalhar. Ele já buscou ajuda das forças de segurança após um assalto, mas se deparou com delegacias fechadas.

“A situação está feia. A polícia sabe onde ocorrem os assaltos, mas não está lá. Quando a gente é assaltado, vamos em busca de socorro e muitas vezes a delegacia está fechada de madrugada. É um abandono para a nossa categoria do transporte especial e do urbano também, porque todo dia tem assalto. No dia em que me assaltaram, os bandidos eram violentos e eu fiquei com medo deles apertarem o gatilho. Eu saio de casa, beijo minha esposa e filhos, mas não sei se volto pra casa”, lamentou.

Escalada da violência

Mesmo gastando quase R$ 6 bilhões entre 2019 e 2021, o atual governo não teve a competência para barrar o aumento da violência em todo o estado. Dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2022 colocaram o Amazonas como o único estado do Brasil a registrar a maior variação no índice de mortes violentas, chegando a 52%.

“O governador do Amazonas perdeu o controle da segurança pública e a prova mais recente disso são esses dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Todos os dias, a população sai para trabalhar com medo. Todos os dias, vemos na imprensa crimes que resultam em mortes violentas e o nosso estado sendo, mais uma vez, destaque negativo nacional e até internacional”, disse Ricardo Nicolau.

O candidato lidera a Coligação ‘Nós, Povo’, que tem como candidata a vice-governadora a professora Cristiane Balieiro (PSB). O grupo também possui mais de 60 candidatos aos cargos de deputado estadual, deputado federal e senador.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.