Manaus, 29/09/2022

Geral

Seca na Inglaterra, incêndios atingem a França enquanto onda de calor persiste

Seca na Inglaterra, incêndios atingem a França enquanto onda de calor persiste
12/08/2022 16h00

Bombeiros de toda a Europa vieram em socorro da França nesta sexta-feira para combater um grande incêndio florestal, enquanto o fogo também se alastrou em Portugal e partes da Inglaterra enfrentaram uma seca severa, com sucessivas ondas de calor renovando o foco em riscos das mudanças climáticas.

Grande parte da Europa enfrentou semanas de temperaturas de cozimento que também esgotaram os níveis de água do rio Reno, na Alemanha, e viram a nascente do rio Tâmisa, na Grã-Bretanha, secar mais a jusante do que em anos anteriores.

As altas temperaturas e o agravamento da seca trouxeram um alto risco de novos incêndios em Gironde, no sudoeste da França, disseram autoridades locais, mesmo depois de um adiamento noturno conter o incêndio florestal que queima há dias, queimou milhares de hectares e desalojou 10.000. pessoas.

Bombeiros da Alemanha, Romênia, Grécia e outros países estiveram no terreno para ajudar a França a combater o incêndio na região – lar do vinho de Bordeaux – e em outras frentes, inclusive na Bretanha, no noroeste.

“Não importa o país, somos bombeiros e estamos lá para ajudar”, disse o bombeiro chefe romeno Cristian Buhaianu, em Gironde.

A comandante francesa Stephanie Martin recebeu seu apoio em uma área que já lutava contra um grande incêndio há semanas no mês passado. “Nossos bombeiros estão cansados ​​depois de um mês de combates. É um apoio muito bom para nós, então podemos focar também na outra operação”, disse ela.

Mas, embora o fim esperado da terceira onda de calor da França no domingo possa trazer algum alívio, o incêndio já deixou muita destruição em seu rastro, incluindo mais de 7.400 hectares (18.286 acres) de floresta queimados – equivalente ao tamanho de uma grande cidade francesa. cidade como Nice.

O que os bombeiros chamaram de “incêndio monstruoso” também destruiu casas, incluindo a casa ancestral da família da estudante Juliette Pilain, de 19 anos, de Belin-Beliet, no coração de Gironde.

“É complicado processar esta notícia. É uma casa que está na família há anos, é especialmente dolorosa para meus avós”, disse Pilain à Reuters.

“Tínhamos todos os móveis dos meus bisavós lá, livros e enciclopédias da minha bisavó… choramos muito, mas depois pensamos que era apenas um dano material e ainda estamos todos aqui.”

INCÊNDIOS EM PORTUGAL, SECA DO REINO UNIDO

No centro de Portugal, um grande incêndio florestal atingiu o seu sétimo dia, com 1.600 bombeiros apoiados por 13 aviões bombardeiros, incluindo um enviado de Espanha, combatendo o incêndio que destruiu cerca de 15% do parque nacional da Serra da Estrela.

Depois de ter começado na zona da Covilhã no sábado, o fogo alastrou-se a vários concelhos vizinhos, consumindo cerca de 15 mil hectares no total.

Enquanto isso, os níveis de água no rio Reno, na Alemanha, caíram novamente, com alguns navios não podendo mais navegar, disseram operadores de transporte e corretores. 

Mais ao norte, na Grã-Bretanha, a onda de calor também atingiu com força, com o governo declarando formalmente partes do sul, centro e leste da Inglaterra em seca após um período prolongado de clima quente e seco.

A Inglaterra sofreu o julho mais seco desde 1935, com apenas 35% da precipitação média do mês, e partes da Inglaterra e do País de Gales estavam agora no meio de um alerta de “calor extremo” de quatro dias. 

“Todas as empresas de água nos asseguraram que os suprimentos essenciais ainda são seguros, e deixamos claro que é seu dever manter esses suprimentos”, disse o ministro da Água, Steve Double, após uma reunião do National Drought Group.

As empresas agora começarão a promulgar planos de seca pré-acordados para ajudar a proteger os suprimentos, e o governo disse que o público e as empresas em áreas afetadas pela seca foram instados a usar a água com sabedoria.

Mais cedo na sexta-feira, a Yorkshire Water anunciou que a proibição de mangueiras começaria em 26 de agosto, proibindo os clientes de usar mangueiras para regar jardins, lavar carros ou encher piscinas.

Em toda a França também há restrições ao uso da água, e a polícia da água tem aplicado multas. A mídia local informou que jacuzzis ao ar livre foram vandalizados na área turística de Vosges, à medida que algumas tensões sobre a água aumentaram.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.