Manaus, 15/08/2022

Brasil

Sespa confirma morte de um dos pacientes de Óbidos com suspeita de doença da ‘urina preta’

Sespa confirma morte de um dos pacientes de Óbidos com suspeita de doença da ‘urina preta’
28/06/2022 15h50

Morreu na sexta-feira passada (24) um dos pacientes de Óbidos, no oeste do Pará, com suspeita da “doença da urina preta”, a Síndrome de Haff. O óbito foi confirmado pela Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) no domingo (26).

De acordo com informações da Sespa, o paciente apresentou os sintomas após ingerir o peixe da espécie pacu. O homem já apresentava outras comorbidades e foi transferido para Santarém, mas acabou não resistindo ao agravamento dos sintomas.

Os outros dois pacientes investigados são da mesma família. Eles também foram atendidos em Santarém com sintomas mais leves. Após receberem alta, os dois pacientes retornaram para a zona rural de Óbidos, onde moram.

Ainda segundo a nota da Sespa, em 2021 foram confirmados 25 casos compatíveis com doença de Haff e em 2022, 4 casos foram notificados e estão em investigação.

Prefeitura emite alerta

Após a notificação de três casos suspeitos da doença, a Prefeitura de Óbidos emitiu um alerta à população. Na nota, é recomendada a não-ingestão de peixes das espécies pacu, pirapitinga e tambaqui.

Ainda segundo a nota, as pessoas que apresentarem algum sintoma de 2 a 12h após ingestão de peixe, devem procurar atendimento médico. Os principais sintomas são: fraqueza, dor muscular, dor de cabeça, dormência e urina escura.

Doença de Haff

A doença de Haff é caracterizada por sintomas de rabdomiólise (urina escura, fraqueza e dores musculares) associado ao consumo de pescados de água doce, devido a uma toxina que induza essa condição e, consequentemente, o desenvolvimento da doença.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.