Manaus, 02/07/2022

Amazonas

SUSAM ENTREGA 110 NOVAS AMBULÂNCIA

Ambulância João Lúcio foto:Divulgação/SUSAM
Ambulância João Lúcio foto:Divulgação/SUSAM
03/10/2018 14h00

A Secretaria de Estado da Saúde (Susam) concluirá a entrega de 110 ambulâncias que foram compradas pelo Governo do Estado, para reforçar o serviço de remoção de pacientes, na capital e interior. Já foram entregues 74 e estão faltando apenas 36.

Das 110 ambulâncias, 78 foram compradas para o interior e 32 para a capital (10 delas para atender o Samu Metropolitano). São 72 de Suporte Básico e 38 de Suporte Avançado, equipadas com Unidade de Terapia Intensiva (UTI), adequadas para atendimentos de alta complexidade. Já foram entregues 42 de Suporte Básico e 32 de Suporte Avançado.

Das 74 ambulâncias já entregues, 16 foram para Manaus (05 de Suporte Básico e 11 de Suporte Avançado) e 58 para o interior (37 de Suporte Básico e 21 de Suporte Avançado). No interior, 45 municípios já receberam ambulâncias.

Na capital, receberam os veículos: Samu (04); Central de Remoção (05); Hospital e Pronto-Socorro (HPS) 28 de Agosto (01); HPS Dr João Lúcio (01); Pronto-Socorro da Criança (PSC) da Zona Oeste (01); Maternidade Alvorada (01), Maternidade Balbina Mestrinho (01) e Serviço de Pronto Atendimento Enfermeira Eliameme Mady (01). Duas ambulâncias novas ficam disponíveis na base da Ceasa.

O secretário estadual de Saúde, Orestes Guimarães de Melo Filho, ressalta que a meta é concluir a entrega até o final deste mês, alcançando os 16 municípios que ainda não receberam. Segundo ele, as cidades que irão receber os veículos são: Amaturá, Benjamin Constant, São Paulo de Olivença, Santo Antônio do Içá, Fonte Boa, Japurá, Maraã, Uarini, Alvarães, Coari, Codajás, Caapiranga, Beruri, Anamã, Urucará e Urucurituba. Manaus também será beneficiada com mais seis veículos, que vão reforçar a frota do Samu.

De acordo com a secretária Executiva Adjunta de Atenção ao Interior da Susam, Edylene Pereira, a atual gestão, ao assumir, em outubro do ano passado, encontrou todos os municípios do Estado com dificuldade para fazer o transporte de pacientes. Muitos sequer tinham veículo para realizar o atendimento, fazendo remoções em carros particulares. “Tratamos o assunto com prioridade, buscando resolvê-lo. Identificamos que quase a totalidade dos municípios estava com suas ambulâncias danificadas, sem manutenção e sem condições de funcionamento”, declarou Edylene.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.