Cultura Amazônida

Violonista amazonense Magaiver Santos apresenta repertório inédito

Violonista amazonense Magaiver Santos apresenta repertório inédito

Com lançamento previsto para o início do próximo ano, ‘Vermelho’ marca a carreira solo de Magaiver Santos, violonista e compositor amazonense que hoje também integra as bandas “Casa de Caba”, “Sindicato dos Artistas Carentes” e “Os Maninhos”.

Nas próximas semanas, o público poderá conhecer as músicas que fazem parte da coletânea que reúne as mais importantes composições do artista através das redes sociais. Em live sessions e vídeos produzidos com qualidade cinematográfica, Magaiver apresentará o repertório inédito e compartilhará o processo criativo por trás do novo trabalho.

Influenciado pelo violão de Baden Powell, Itamar Assunção, Gilberto Gil, Milton Nascimento, Ednardo, Metá Metá e pela polirritmia da música africana e riffs marcados do rock’n’roll, Magaiver trará ao público canções como ‘Aventura Quente’ e ‘Conversa de Bois’, esta última inspirada em um conto de ‘Sagarana’, de Guimarães Rosa.

Assim como a música, a literatura está fortemente presente nos trabalhos desenvolvidos pelo artista. Recentemente contemplado com o prêmio de literatura “Arte Como Respiro” do Itaú Cultural, ele afirma sua linguagem poética fortemente marcada pela criação de narrativas cinematográficas e contemporâneas.

“Algumas das minhas principais referências para a criação das músicas desse álbum vem do campo da literatura. Escrevi ‘Conversa de Bois’ no período em que lia ‘Sagarana’, de Guimarães Rosa. Além disso, agora na música, o disco também é muito influenciado por artistas como Caetano, que sempre me marca muito, e pela banda The Mars Volta, que faz um som mais experimental”, conta.

Desenvolvido ao longo de quatro anos, ‘Vermelho’ é um mergulho de Magaiver em sua própria intimidade. “Fiz essas músicas na minha solidão, comigo mesmo. Cada trabalho é uma maravilha diferente na minha vida, e ‘Vermelho’ é minha paixão atual, é o que tem me consumido ao longo dos últimos tempos e estou adorando. A eletricidade que ele causa em mim aumenta minha paixão pela vida e por fazer música”, compartilha o artista.

Com apoio do Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais 2020, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), por meio da Lei Aldir Blanc, o repertório do álbum será apresentado através de conteúdos de música ao vivo (live sessions) e blocos de entrevista com o artista com temas como música, processos criativos e produção fonográfica do norte, disponibilizados no Instagram e no canal do artista no Youtube.

Fazem parte da equipe responsável pelos conteúdos audiovisuais nomes de destaque no mercado audiovisual amazonense, como a diretora de fotografia Valentina Ricardo e a produtora e diretora Anália Nogueira.

Com informações da assessoria