Manaus, 06/07/2022

Geral

“Zona Franca de Portas Abertas”: Amazonastur visita fábrica de condicionadores de ar em ação do projeto

“Zona Franca de Portas Abertas”: Amazonastur visita fábrica de condicionadores de ar em ação do projeto
19/05/2022 09h25

A equipe técnica da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) participou, nesta quarta-feira (18/05), de mais uma visita teste do projeto “Zona Franca de Portas Abertas”, que visa estimular o Polo Industrial de Manaus (PIM) como atrativo turístico. Desta vez, os visitantes conferiram os potenciais da fábrica de condicionadores de ar da Midea.

A iniciativa é organizada pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), tendo como objetivo trazer visibilidade ao modelo industrial, aproximar as indústrias da sociedade, além de criar mais um atrativo turístico na capital amazonense.

A vice-presidente da Amazonastur, Isadora Alfaia, afirma que o projeto destaca a importância do Polo Industrial no desenvolvimento do turismo na região. “Esse projeto visa criar mais um produto turístico para a nossa capital, além de mostrar a importância do Polo Industrial de Manaus para os nossos moradores e para os visitantes”, ressaltou.

O projeto também tem o intuito de apresentar o turismo de lazer, técnico e científico na capital, além de chamar a atenção dos turistas e estudantes para motivar seus interesses profissionais. “É de grande importância para a inclusão dos alunos de Turismo pela possibilidade de um roteiro em que apresenta as fábricas e indústrias que fazem parte do Polo Industrial de Manaus”, afirmou a coordenadora do curso de Turismo da UEA, Glaubécia Teixeira.

No total, 11 empresas se credenciaram para participar do projeto. São elas: Yamaha, Suporte, Sidia, Samsung, Positivo, Midea, Honda, Coca-Cola, Caloi, Ocrim Trigolar e Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA).

 

 

Foto: Bruna Geovana

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.