Manaus, 08/12/2022

Amazonas

ABERTA INSCRIÇÃO DE PROCESSOS NA 13ª SEMANA NACIONAL DA CONCILIAÇÃO (SNC2018)

Businessman and businesswoman handshaking in office
Businessman and businesswoman handshaking in office
24/09/2018 15h40

A Corregedoria – Geral de Justiça do Tribunal de Justiça do Amazonas informa que estão abertas, até o dia 12 de outubro, as inscrições de processos para quem desejar fazer acordos durante a 13ª Semana Nacional da Conciliação (13ª SNC). O evento está marcado para acontecer de 5 a 9 de novembro. O prazo de inscrição é válido para os processos que tramitam nas Varas e Juizados da Justiça em todo o Amazonas.

Qualquer uma das partes envolvidas na ação pode se dirigir ao fórum localizado em sua cidade e comunicar a intenção de conciliar à secretaria da Vara na qual tramita o processo.

A inscrição também pode ser feita no portal do Tribunal de Justiça do Amazonas – www.tjam.jus.br, o interessado deve clicar no link “Quero Conciliar” para proceder o registro do processo para o evento.

Número da SNC 2017
No ano passado a Semana Nacional da Conciliação aconteceu de 27 de novembro a 01 de dezembro e resultou em 12.859 audiências designadas, das quais foram realizadas 9.828, totalizando 3.695 acordos homologados e 22.254 pessoas atendidas. O total em valores movimentados por homologações de acordo somou R$ 34.734.784,76. O ano de 2017 movimentou quase 15 milhões a mais que o arrecadado no ano anterior. Nos tribunais estaduais em todo o Brasil, segundo dados do CNJ de 2017, foram realizadas 249.964 358 audiências, com 100.085 de acordos homologados e o total de R$ 495.734.349,02 em valores movimentados.

Assunto: População pode inscrever processos na  Semana Nacional da Conciliação (SNC2018)
Prazo: Inscrições de processos até 12 de outubro
Quando: A SNC2018 acontece de 5 a 9 de novembro
Contato: ASCOM CGJ-TJAM 2129-6672

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.