]

Manaus, 27/07/2021

Polícia

Agentes públicos utilizavam estrutura do Estado para desviar ouro no Amazonas

Secretário de Inteligencia Público do Amazonas (Seai), Samir Freire e o investigador  Jarday Bello. Foto: divulgação
Secretário de Inteligencia Público do Amazonas (Seai), Samir Freire e o investigador Jarday Bello. Foto: divulgação
09/07/2021 12h02

MANAUS – O Ministério Público do Amazonas (MP-AM), através do Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado – GAECO,  cumpriu mandados de prisão temporária e de busca e apreensão tanto em Manaus como no interior do Amazonas e no interior do Estado do Pará no desdobramento da operação”Garimpo Urbano”. No total foram cumpridos 14 mandados de prisão temporária e  de busca e apreensão por equipes operacionais da Polícia Federal e do GAECO.

A operação em questão tem como objetivo coibir a ação de agentes públicos ligados a órgão de cúpula da Segurança Pública do Estado do Amazonas, supostamente envolvidos na subtração de ouro, mediante graves ameaças dirigidas aos transportadores do referido metal.

Apura-se o monitoramento e abordagem das vítimas mediante uso de estrutura, pessoal e de expertise da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência – SEAI. Ou seja, os servidores da Polícia Civil do Amazonas estariam usando a estrutura pública para a ação ilicita de desvios de ouros tanto na capital, quanto no interior do Estado.