Manaus, 20/04/2021

Amazonas

Comissão de Saúde realiza Audiência para debater possível terceira onda no AM

Reprodução/Internet
Reprodução/Internet
07/04/2021 13h20

A empresa francesa Vinci Airports arrematou hoje, em leilão promovido pelo Governo Federal, o bloco Norte de aeroportos oferecido no certame, cuja âncora é o aeroporto internacional Eduardo Gomes, de Manaus. A proposta vencedora, no valor de R$ 420 milhões, representou um ágio de 777,47% sobre o preço inicialmente estipulado. A concessão pública tem prazo de 30 anos.

O leilão atraiu interessados para todos os três blocos e garantiu ao Governo Federal uma arrecadação inicial de R$ 3,302 bilhões. Segundo o Ministério da Infraestrutura, o ágio médio foi de 3.822%, o que representou uma arrecadação R$ 3,1 bilhões acima do mínimo fixado pelo edital para o valor de contribuição inicial (R$ 186,2 milhões).

Além do valor à vista, as regras do leilão preveem uma outorga variável, a ser paga a partir do quinto ano de contrato. O investimento total nos 22 aeroportos, que foram divididos em três blocos, é estimado em R$ 6,1 bilhões durante os 30 anos de concessão.

Ao todo, sete concorrentes participaram da disputa. O grande vencedor do leilão foi o consórcio Companhia de Participações em Concessões, subsidiaria do grupo CCR, que levou os blocos Sul e Central. Já a francesa Vinci ficou com o bloco Norte.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, comemorou o resultado do leilão desta quarta e a participação de grupos nacionais e estrangeiros. “O Brasil merece esse crédito, é um país rico em oportunidades. Que atravessa um momento difícil sim, mas tem capacidade de se reinventar”, disse. “O desafio é gerar o máximo de empregos que pudermos”, disse ele.

Os 22 aeroportos do leilão foram divididos em três blocos, abrangendo um total de 12 estados. Cada bloco possui um aeroporto âncora sediado em cidades de maior demanda – Curitiba, Goiânia e Manaus.

via