Manaus, 24/09/2022

Geral

Dia dos Filhos: A importância na relação do pai no desenvolvimento dos filhos

Dia dos Filhos: A importância na relação do pai no desenvolvimento dos filhos
22/09/2022 14h00

Comemorado em 23 de Setembro, o Dia dos Filhos foi criado com o intuito de ajudar a fortalecer os laços entre pais e filhos. O cuidado e o carinho dos pais com os filhos são fundamentais e devem acontecer desde a concepção, durante o parto e no nascimento, bem como, crescer gradativamente durante a infância e adolescência, estreitando os laços entre pais e filhos.

Assumir essa responsabilidade é o primeiro passo do pai; firmar o compromisso de cuidar cercando-a de tudo de que ela vai precisar para que seus filhos cresçam firmes e fortes.

Com uma rotina agitada, muitos pais prolongam o trabalho e não aproveitam os momentos livres para acompanhar a rotina com os filhos.

Esse dia é justamente para chamar a atenção dos pais e dos filhos para que possam repensar suas rotinas e separar um tempo especial dedicado exclusivamente à família.

Para a docente do curso de Psicologia da Wyden, Maria Vilani Sequeira, esta data produz reflexões, momento em que os pais podem incluir no planejamento semanal tempo para interagir de forma dialógica e lúdica com os filhos, criando hábitos saudáveis, reforçando laços, contribuindo no equilíbrio emocional dos filhos. “Momentos de interação contribuem para regular e nutrir o desenvolvimento equilibrado da personalidade da criança. As relações saudáveis entre pais e filhos geram atitudes positivas, reguladoras das emoções tóxicas, facilitando o convívio familiar. Filhos precisam de pai e mãe próximos, disponíveis, abertos para orientá-los naquilo que eles solicitam. Momentos de descontrações igualmente produzem limites, respeitos, estabelecendo o certo e errado, congruências, sendo necessários no convívio familiar, destacou.

“Essa tarefa não é muito fácil para os pais que não conseguem se desvencilhar do papel de autoridade, com cobranças, por vezes excessivas. Para estes, é importante refletir que a educação é baseada no afeto, sendo possível ser amigo dos filhos. O equilíbrio emocional dos pais contribui, de forma significativa, e faz parte da tarefa paterna. Produzir momentos lúdicos, não desregula a função educadora, ao contrário, as brincadeiras trazem no seu escopo o papel educativo. O excesso da energia infantil precisa ser canalizada, e os filhos precisam aprender a gerenciar. É possível nestes encontros de descontração, os pais mostrarem que também são capazes de criar momentos de descontração, divertidos, sem ser frágil. A vida humana carece de afeto. A saúde mental precisa ser cuidada”, pontuou a especialista, Maria Vilani Sequeira.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.