Manaus, 15/05/2021

Cultura e Entretenimento

Genuinamente manauara, label ‘RAUM’ busca conectar pessoas e gerar novas experiências em eventos de e-music 

Genuinamente manauara, label ‘RAUM’ busca conectar pessoas e gerar novas experiências em eventos de e-music 
24/04/2021 15h30

Amigos apaixonados por música eletrônica assistem ao set do duo alemão de techno Der Dritte Raum (O Terceiro Espaço em tradução livre) em São Paulo. O cenário foi o start para a criação de uma produtora de mesmo nome, com o objetivo de proporcionar ao público do Norte do País, a mesma sensação positiva de eventos de alta qualidade fora das fronteiras amazônicas.

Assim surge o coletivo RAUM (palavra alemã que dá o conceito abstrato de espaço) formado por Ítalo Sargentini, Wilson Bulbol, Franklin Jr e Eric Cabral. Outras referências do coletivo são as lutas por liberdade de expressão, aceitação do próximo, aceitação da homossexualidade e a derrubada de qualquer tipo de preconceito. Bandeiras comuns aos movimentos sociais e musicais dos anos 1970 e 1980, bases para a cultura techno. Estes conceitos estão reunidos na sigla PLUR: Peace, Love, Union, Respect, valores que a label tenta transmitir a sua clientela.

Com o público reduzido pela falta de expertise e de um nome forte, o coletivo viu a label crescer exponencialmente até chegar ao ‘Carnaraum’, um marco na fidelização do público fiel à música eletrônica. O evento colocou a RAUM e a música eletrônica de qualidade no calendário do carnaval amazonense.  Depois disso, a ‘Warehouse’ caiu no gosto dos fãs da e-music no mês de outubro. Foram 600 pagantes, recorde para eventos do coletivo.

“Nosso objetivo como label é levar ao nosso público ensinamentos do house e techno de respeito à diversidade em todas as suas subdivisões. E isso, acredito, é fácil de ser transmitido pelo fato de a música eletrônica ser uma linguagem universal”, disse Wilson Bulbol Júnior, um dos sócios da RAUM.

“A RAUM é um coletivo genuinamente manauara, onde através do nosso amor a música, conseguimos conectar pessoas e gerar novas experiências. Por meio de expressões artísticas, difundimos a cultura da e-music, tão pouco explorada em nossa cidade. Junto à inovação, temos como objetivo, explorar novos horizontes diante da cena local, trazendo abordagens diferentes, visuais inovadores, lugares jamais imaginados, novos artistas e novas experiências aos amantes da música eletrônica. Queremos nos tornar inspiração para a cena local, de forma que essa cultura se difunda e que possamos crescer todos juntos. Essa é nossa missão e o caminho até lá é muito promissor”, complementa Ítalo Sargentini.

Ítalo conta que sua biografia se funde com as bases para a criação da RAUM. “Minha história no meio artístico como produtor começou em 2013. A vontade de inovar e o sonho de trazer artistas renomados para nossa cidade era grande. Desde então, venho estudando cada vez mais, em evolução constante, errando e aprendendo cada vez mais. A paixão pela música, pela correria da produção, trabalhar com isso me deixa feliz e realizado”, diz.

O amor pela música eletrônica é o combustível dos jovens amigos do coletivo. “Minha motivação é unicamente meu amor à música eletrônica, meu amor a toda essa cadeia produtiva. Não existe dinheiro que pague minha realização em ver pessoas curtirem nossos eventos felizes, onde podem se libertar e compartilhar emoções com amigos. Sempre digo que não fazemos para lucrar financeiramente, fazemos por amor, e sempre vai ser assim. Queremos a cada dia melhorar e evoluir para trazermos novas experiências ao nosso público manauara. Nosso objetivo é crescer com respeito ao próximo e muita música boa”, acrescenta o produtor.

A RAUM é um projeto muito bem pensado e executado, complementa Sargentini. “Éramos no início oito amigos com intuito apenas de nos divertir. Hoje somos quatro sócios sérios, dedicados a cada evento. Juntos conseguimos pensar em cada detalhe de forma especial, pensando unicamente em nosso público. Nossos sonhos para um futuro próximo são grandes, projetos jamais imaginados, ideias revolucionárias para nossa cena eletrônica. O ano de 2020 teria sido muito especial, vários projetos que teriam sidos executados, infelizmente congelados, por conta da pandemia. Ficamos muito tristes em não poder produzir para nosso público, mas todo problema tem um aprendizado, usamos esses longos meses parados para aperfeiçoar e idealizar outros novos projetos. Então, com certeza, assim que tudo voltar à normalidade, teremos muitas novidades para nosso público manauara. O céu é o limite para a nós”, conclui Sargentini.

Incentivo à cadeia produtiva local

A RAUM busca essa interação com outros artistas e produtores locais para o crescimento em conjunto, formando assim público por meio da difusão de e-music de qualidade para uma cena concreta, unida e consolidada. A ideia é levar uma experiência positiva e educadora àqueles que ainda não apreciam os gêneros do underground.

O coletivo acredita que quem ganha com isso é o público, que por meio dessa concorrência saudável é presenteado com eventos sem falhas e com respeito ao consumidor, uma carência que busca ser suprida pela produtora, com constante inovação e educação musical no ramo da e-music. Mais informações nas redes sociais “RAUM Music”.