Manaus, 29/09/2022

Brasil

Marido de Paula Thomaz tenta evitar pagamento a Gloria Perez

Marido de Paula Thomaz tenta evitar pagamento a Gloria Perez
09/08/2022 14h40

Marido de Paula Thomaz, o advogado Sérgio Rodrigues Peixoto ingressou com um pedido na Justiça para tentar impedir a penhora do apartamento onde ele vive com a esposa, no Rio de Janeiro. Condenada em 1997 pela morte da atriz Daniella Perez, Paula foi alvo de uma decisão judicial que determinou o pagamento de 250 salários mínimos à autora Gloria Perez, mãe de Daniella.

De acordo com o site Notícias da TV, que teve acesso ao pedido apresentado por Sérgio Peixoto, o advogado alegou que o imóvel é o único bem material que possui e que ele mora com a esposa no apartamento. Além disso, Peixoto teria afirmado que, caso a residência seja vendida, o casal não teria onde morar.

A condenação aplicada contra Paula foi de 250 salários mínimos, o equivalente a cerca de R$ 303 mil em valores atuais. Por estar casada há mais de dez anos, Paula Thomaz tem direito a 50% dos bens do marido, o que inclui o apartamento onde os dois vivem. Por causa disso, o Judiciário considerou que o imóvel representa fundos suficientes para o pagamento da quantia.

A ação que resultou na indenização à autora foi protocolada em 2005 e decidida em 2017. No processo, Gloria pedia o cumprimento de uma sentença por danos morais de uma vitória judicial que ela havia obtido em 2002 contra Paula Thomaz e Guilherme de Pádua, os dois condenados pelo assassinato de sua filha.

Pelo crime, Paula foi condenada a uma pena de 18 anos e meio de prisão, que depois foi reduzida para 15 anos. A ex-esposa de Guilherme de Pádua cumpriu um sexto da pena antes de receber a liberdade condicional e deixar a penitenciária em 1999. Desde então, ela se tornou promotora de eventos. Casada desde 2001 com Sérgio Peixoto, ela passou a se chamar Paula Peixoto.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.