Manaus, 14/05/2021

Brasil

Pandemia muda rotina de treino de atleta olímpico

Foto: Reprodução.
Foto: Reprodução.
04/05/2021 16h30

Foto: Reprodução.

 

O mundo foi pego de surpresa pela pandemia, sendo obrigados a ficar em casa para evitar o contágio do novo coronavírus. Diante da orientação para que as pessoas fiquem em casa, é fundamental que sejam incentivadas à adoção de uma rotina de vida fisicamente ativa. O estilo de vida sedentário é prejudicial para o nosso sistema imune, fundamental para reduzir a possibilidade de infecção viral. Para muitos foi um desafio se adequar a nova rotina, o paratleta Brendow Christian sabe muito bem o que isso.

Natural de Manaus, o lançador de dardo ficou mais de um ano sem competir por causa da Covid-19. A maior dificuldade nesse período, foi a falta de treino por causa do isolamento social. ´´Eu tentei adaptar e treinar na rua, mas não é a mesma coisa. Em uma dessas vezes quase torci meu tornozelo, porque pisei em um buraco´´,  relembrou.

Outro desafio encontrado por Brendow, foi a falta de recursos financeiros já que o clube cortou a bolsa que ele recebia por conta de cortes de gastos. ´´Temos também o bolsa atleta que nos auxilia nas questões financeiras, que nada mais é que uma bonificação aos atletas, mas está parado desde janeiro´´, ressaltou.

Atualmente o paratleta  F12 que mora em Santo André, em São Paulo, é recordista brasileiro e das Américas, e tricampeão brasileiro adulto em lançamento de Dardo. Começou sua carreira no atletismo há 9 anos, apesar de pouco tempo na modalidade, sempre teve êxito em suas disputas.

Brendow aos 13 anos descobriu que tinha uma doença degenerativa que afetou sua visão. Antes de iniciar no paradesporto, ele tentou outras modalidades, como natação, futsal e até boxe, sempre competiu com outros atletas com a visão perfeita. Mas o destino fez com que Brendow reencontrasse a lança.

 

Texto: Beatriz Costa