Manaus, 30/01/2023

Polícia

PC-AM busca informações sobre pessoas que desapareceram em Manaus

13/12/2022 09h20

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio das Delegacias Especializada em Ordem Política e Social (Deops) e Especializada em Proteção à Criança e Adolescente (Depca), busca informações sobre o paradeiro de pessoas que desapareceram em zonas distintas de Manaus.

Conforme as delegadas Catarina Torres e Joyce Coelho, titulares da Deops e Depca, respectivamente, o apoio da sociedade, por meio do compartilhamento da imagem das pessoas desaparecidas, nas redes sociais, é imprescindível para o desfecho do caso.

Desaparecidos

Matheus Henrique da Fonseca Macedo, 16, está desaparecido desde o dia 23 de novembro deste ano, por volta das 9h, quando saiu de sua casa, no bairro Novo Aleixo, zona norte. Desde então, não foi mais visto.

Também está desaparecido o jovem Gabriel Colares Batista, 22. Ele foi visto no dia 4 de dezembro, por volta das 23h, no bairro Santo Antônio, zona oeste da cidade, entretanto, não voltou para casa e nem deu notícias aos familiares.

E Edival Floriano dos Santos, 58, foi visto pela última vez na sexta-feira (09/12), por volta das 10h, no bairro Coroado, zona leste. Ele estava internado no Hospital e Pronto-Socorro (HPS) João Lúcio, devido a um acidente, no entanto, fugiu do local e até o momento encontra-se desaparecido.

Colaboração

A PC-AM solicita a quem saiba a localização dos desaparecidos, que as informações sejam repassadas por meio do número (92) 3214-2269, disque-denúncia da Deops, e pelo 181, da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM).

A delegada Joyce Coelho, titular da unidade especializada, solicita a quem tiver informações sobre a localização do adolescente que entre em contato com a Depca, por meio do número (92) 99486-4027, ou pelo Disque Direitos Humanos (Disque 100).

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.