Manaus, 20/06/2021

Política

Sinésio Campos articula implementação do Distrito de Desenvolvimento Regional de Manacapuru e Iranduba

Foto: divulgação
Foto: divulgação
10/06/2021 11h40
O grupo de trabalho formado pela Comissão de Geodiversidade, Recursos Hídricos, Minas, Gás, Energia e Saneamento da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) realizou uma reunião técnica, na quarta-feira (9), na Aleam, para articular e encaminhar providências sobre o projeto que visa a implementação do Distrito de Desenvolvimento Regional de Manacapuru e Iranduba (DDRMI), por meio do uso de gás natural como fonte de energia.  A ideia é promover a expansão econômica e social desses municípios, que são cortados pelo traçado do Gasoduto Cori/Manaus, onde há um dos principais polos do setor oleiro e cerâmico da região Norte do país.Entre as propostas encaminhadas estão a criação de uma Frente Parlamentar Mista em defesa da implementação do DDRMI e uma visita técnica às empresas que serão beneficiadas, nesses municípios. “Um dos nossos objetivos com esse projeto é gerar dez mil novos postos de trabalho diretos e indiretos, crescimento do Produto Interno Bruto de Manacapuru e Iranduba, além da redução de emissão de poluentes, provenientes da queima de madeira, em torno de 40%”, destacou o deputado estadual Sinésio Campos (PT), que preside a Comissão de Geodiversidade, Recursos Hídricos, Minas, Gás, Energia e Saneamento da Aleam.Localizado à margem direita da rodovia estadual Manoel Urbano (AM-070, Km 54), com uma área de 60 hectares, o projeto está orçado em cinquenta e seis milhões de reais e tem recursos como o Orçamento Geral da União e Estados amazônicos, Fundo de Desenvolvimento da Amazônia e fundo constituído pelos governos Estadual e Municipal.No próximo mês, no dia 13 de julho, a Comissão de Geodiversidade, Recursos Hídricos, Minas, Gás, Energia e Saneamento da Aleam vai realizar uma reunião terminativa para apresentar os resultados obtidos junto aos órgãos como o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Companhia de Gás do Amazonas (Cigás), Banco da Amazônia (Basa), Secretaria do Estado da Fazenda do Amazonas (Sefaz), Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea), governo do Amazonas e representantes dos municípios de Manacapuru e Iranduba.