Manaus, 02/10/2022

Brasil

Tesouro dos EUA vê laços de traficantes do Brasil com minas de ouro ilegais na Amazônia

Tesouro dos EUA vê laços de traficantes do Brasil com minas de ouro ilegais na Amazônia
19/08/2022 17h00

O governo dos Estados Unidos está preocupado com as ligações entre a maior quadrilha de traficantes do Brasil e a mineração ilegal de ouro na floresta amazônica, disse uma autoridade do Tesouro dos Estados Unidos nesta quarta-feira após reuniões com a polícia brasileira e a sociedade civil.

Brian Nelson, subsecretário de terrorismo e inteligência financeira, disse ter recebido informações alarmantes sobre os laços entre o Primeiro Comando da Capital (PCC), um grande traficante global de cocaína, e garimpeiros selvagens que devastam a Amazônia.

O presidente dos EUA, Joe Biden, impôs sanções financeiras em dezembro ao PCC, que nasceu nas prisões de São Paulo no início dos anos 1990. Agora a organização criminosa mais poderosa do Brasil, o PCC está entre as quadrilhas de traficantes que ajudam a inundar a Europa com cocaína. 

Nelson disse que suas reuniões na capital Brasília e no centro empresarial São Paulo levantaram preocupações de que o PCC também possa estar envolvido em crimes ambientais, como mineração de ouro.

“Estamos focados na mineração ilegal de ouro… porque tanto pode gerar recursos para outras atividades ilícitas, dado o valor do ouro, quanto fornecer um veículo para lavar os recursos ilícitos do narcotráfico”, disse ele a jornalistas.

Nelson disse que também discutiu com autoridades brasileiras uma proposta de teto de preço do petróleo russo como parte de uma resposta ocidental à invasão da Ucrânia.

Ele não comentou a visão de Brasília sobre a proposta, mas disse que as “discussões técnicas” continuarão com o Brasil, um exportador líquido de petróleo com poucas conexões diretas com o setor energético russo.

Fonte: Reuters

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.